terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Mais inseguro não pode estar

Desde que António José Seguro é líder da oposição tenho sido um crítico constante da falta de inacção por parte do secretário geral do PS. Em primeiro lugar porque não apresenta uma alternativa com substância e interesse para o país. Depois mudou a sua forma de fazer oposição, passando de uma atitude moderada para uma postura radical chegando ao ponto de pedir eleições antecipadas porque os números do governo "não batiam certo" com a realidade. A última razão para criticar o líder socialista tem a ver com a sua falta de disposição para participar com o governo em questões importantes como é a estratégia orçamental porque um dia os socialistas vão ser governo (não com Seguro...)

Eu entendo as duas primeiras posturas do líder mas já não aceita a última, ainda que por detrás da atitude esteja sempre uma questão partidária. O problema é que o PS não vai ser governo em 2015 e muitos militantes socialistas já perceberam isso, o único que ainda não acredita numa derrota nas próximas legislativas é o próprio líder. 

Pode ser que quando Seguro perceber que tem a cama feita comece a alinhar nalgumas propostas do governo, nem que seja para deixar uma boa imagem aos portugueses quando chegar a hora da sua saída. 

Sem comentários:

Share Button