terça-feira, 12 de novembro de 2013

Os primeiros resultados pós eleições na Alemanha

Estranha coincidência ou não, a economia europeia começou a inverter a tendência negativa após as eleições na Alemanha. A vizinha Espanha está quase a sair da crise, a Irlanda vai negociar o programa cautelar e Portugal tem a luz ao fundo do túnel. Só a Grécia é que não consegue sair da crise, contudo o caso grego é completamente diferente dos restantes.

Se os três países conseguirem voltar a financiar-se autonomamente Angela Merkel tem uma vitória em toda a linha. Não só internamente mas sobretudo externamente. Em primeiro porque as medidas de austeridade foram a solução para resolver o problema e depois porque os países mais ricos também são os mais cumpridores. 

Sou daqueles que não gosta do estilo da chanceler, no entanto aprecio o rigor alemão. Não é preciso exagerar nos cortes ou no aumento de impostos, contudo só um controlo do orçamento poderá fazer com que os nossos serviços tenham qualidade. Não vale a pena gastar sabendo de antemão que um dia mais tarde teremos de pagar. Se vamos deixar a conta de electricidade por pagar um ou dois meses, a factura vai ser mais cara. 

Algo mudou na Europa desde Setembro. A mudança está relacionada com o voto de confiança que os alemães depositaram na Chanceler mas também nas negociações para um governo de coligação, até porque deixar Merkel à solta é perigoso.


Sem comentários:

Share Button