Etiquetas

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Orçamento malabarista

As linhas gerais do orçamento para 2014 já foram apresentadas. No entanto, só amanhã após a entrega do documento via PEN é que saberemos todas as novidades. 
Este ano não houve aumento de impostos brutais. Já é um passo. Embora se mantenham as mesmas percentagens, pelo menos o sector privado não tem de suportar a crise sozinha. 

Aposto que o próximo OE(o de 2015) vai ser mais levezinho em matéria de impostos, já que nesse mesmo vai haver eleições legislativas. Posso até arriscar que o governo está a cortar e a aumentar tudo o que pode agora, para depois esfriar a carga. Se isso irá resultar em termos eleitorais, é algo que muitos analistas acreditam que não. Eu também acho que não.

Desta vez, foi o sector público a grande vítima do OE. E bem, na minha opinião. As alterações podem não ser populares e afectar muitas pessoas mas era necessário. Como se acabou por revelar, só algumas pensões de sobrevivência é que vão ser taxadas. 

Não se pode falar sem ter o documento na mão, contudo há uma conclusão que se pode chegar: Ou o Orçamento não tem grandes, a não ser aqueles que referi ou daqui a dois dias vamos ter muitas surpresas. Se for o primeiro caso, Paulo Portas é o primeiro vencedor porque falou verdade. Senão, o vice primeiro-ministro é um grande malabarista, para não dizer outra coisa. 

A união ou a queda deste governo começam amanhã, já que muitos órgãos de informação vão ter acesso ao documento antes dos deputados. Eu percebo a razão do governo querer adiar o inevitável. 

Outro aspecto importante é perceber se com os cortes previstos, como é possível crescer 0,8 como está acordado....

Sem comentários:

Share Button