quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O comentário, a entrevista, o livro e o quarto passo em falso

Primeiro regressou ao país pela televisão. O comentário na RTP foi um pretexto para o ex-primeiro ministro se vingar do passado e criticar o futuro. Comentei na altura que o antigo chefe de governo se estava a colocar numa posição que nenhum PM se deveria pôr. No entanto, Sócrates preferiu justificar as suas opções politicas através da tv e nunca com bom senso. 

Sócrates foi durante muito tempo o líder da oposição, vergando Seguro a um papel secundário. O ex governante não acrescentou nada, no entanto não era expectável que o fizesse. No papel de comentador político, Sócrates é mais um exemplo de como no nosso país, a política não tem substância. 

Há dias, o antecessor de Passos Coelho deu uma entrevista ao Expresso. Das muitas barbaridades, pairou no ar a ideia que ex podia voltar a ser primeiro. A sombra do cavaleiro negro continua entre nós. Sócrates é pior que Santana Lopes, pois ainda não percebeu que o povo está e estará sempre zangado com ele. Por muita porcaria que Passos Coelho ou Seguro façam, não vai haver uma segunda oportunidade.

Hoje é o lançamento do livro do anterior primeiro-ministro. Ao contrário do que é normal, a obra de Sócrates não versa sobre os anos em São Bento. Tenho a certeza que o ex líder socialista precisava de muitas páginas para explicar o aumento do número de funcionários públicos em vésperas de eleições, bem como outras trafulhices. No entanto, o mais complicado era explicar a forma como deixou Portugal na bancarrota. Mais uma vez digo, que tanto Passos Coelho como Seguro podem fazer porcaria, contudo ninguém se vai esquecer dos anos socráticos.

O ex-primeiro ministro deu os passos certos rumo a um possível regresso. Belém ou o retorno a São Bento são os próximos alvos. Uma candidatura a Presidente da República é o mais natural, contudo com o país à beira de eleições, com Seguro inseguro da sua capacidade e António Costa remetido à CML, o PS poderia necessitar de um líder que estivesse disposto a agarrar no partido e depois no país. Eu não vejo ninguém a não ser Sócrates. 

Em termos partidários não vejo dificuldades no regresso de Sócrates, contudo um Portugal desesperado poderá cometer um erro do tamanho de um novo pedido de ajuda à troika.  

Depois do comentário, da entrevista e do livro, qual será o quarto passo?

3 comentários:

Fatyly disse...

"O quarto passo" deveria ser o 1º:

Deixarem as guerras partidárias e TODOS que são pagos por nós verem com olhos de gente

O ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2014 que não passa de um enorme livro que nos querem vender como reforma do Estado e não passa de:

O VERDADEIRO SAQUE VERSUS ROUBO AO POVO QUE NOS ELEGEU!!!!!

e a parvoeira que criaram com Angola cujos jornalistas de lá e de cá não sabem parar de deitar mais lenha na fogueira.

Que se lixe "essa devoção ao partido com os olhos, dentes e unhas fisgados aos partidos vizinhos sem verem a ???? que fazem"...venha o "roto ao núo porque não te vestes tu" por serem TODOS farinha do mesmo saco!!!

Francisco Castelo Branco disse...

mas foi ele o principal responsável pela actual crise. vai agora voltar para fazer porcaria outra vez?

Fatyly disse...

Foi só ele? e os anteriores a ele a começar por Cavaco Silva como 1º ministro? e se fores mais lá atrás até Mário Soares?
Tenham dó...não sou nada de chorar sobre leite derramado e se Sócrates foi mau pela sua super teimosia, PPC é muito pior, mas muito porque não acerta uma e é tudo feito às pressas numa treta de "cumprimento do défice" cortando onde não deveria cortar...e as "verdadeiras gorduras continuam intáctas". Depois ando eu a contar tostões e S.Exª. a dar mais subsidios a ministros e pagar a incompetentes e com rabos de palha?

A MENTIRA tem perna curta e já vi cenários políticos idênticos...culpa-se o vizinho quando nós próprios temos ainda mais culpa!!!!


Share Button