terça-feira, 24 de setembro de 2013

Garantida a Síria, há que conquistar o Irão

Arrumado que está a questão da Síria, Barack Obama volta-se para o Irão. O actual Presidente norte-americano está a tentar "limpar", o que um dia George W.Bush chamou de "Eixo do Mal". A Síria revelou-se um problema porque inesperadamente as armas químicas foram usadas. Contudo a questão iraniana é diferente, porque há muito que o país está a desenvolver um programa nuclear bastante mais poderoso do que Damasco. Obama conseguiu travar a Síria mas dificilmente obrigará o Irão a ceder. Este problema não é só dos Estados Unidos ou de Israel, mas tem repercussões a nível mundial, porque Teerão representa uma verdadeira ameaça a todos nós. 

O Presidente americano está a realizar todos os esforços para trazer equilíbrio e paz mundial, no entanto precisa do apoio das Nações Unidas, em particular da Rússia. Se não fosse a intervenção russa, a Síria neste momento estaria a chacinar o seu povo com armas químicas. Na minha opinião considero fundamental que a Rússia seja um aliado dos Estados Unidos. Só assim se conseguirá paz. A Velha Europa já não influência diplomática porque anda mais preocupada em resolver os problemas financeiros que o Euro lhe causou. Tendo em conta que Moscovo é aceite no Médio Oriente, porque não aproveitar esta ajuda? Neste campo, Obama tem optado por uma relação de amizade com Putin, ao contrário do que acontecia com W.Bush. 

Notável tem sido o comportamento do Irão. O representante Hassan Rouhani tem tido um papel fundamental para que haja uma aproximação entre EUA e Irão. O que não acontece desde 1979.

Sem comentários:

Share Button