sexta-feira, 6 de setembro de 2013

À medida dos objectivos

É interessante verificar como PS e PSD têm objectivos distintos para as autárquicas consoante o resultado que lhes dá mais jeito em termos políticos. 
Para os socialistas vencer será ter o maior número de votos em termos nacionais, enquanto para o PSD o objectivo é ganhar a Presidência da Associação Nacional de Municípios portugueses, no fundo é ter o maior número de câmaras. 

Perante este cenário nenhum dos partidos vai perder as eleições e na noite de 29 tanto Seguro como Passos Coelho vão cantar vitória. Eu percebo que o PSD tenha como objectivo ganhar o maior número de câmaras, eu não entendo como é que o PS não tem essa ambição e se fica por ter mais votos que os sociais democratas. Penso que Seguro tem medo que as eleições não corram da melhor, só isso justifica a pouca ambição socialista. O governo pode estar a ser julgado nestas eleições, contudo a liderança socialista não foge ao escrutínio da população, porque um primeiro olhar permite perceber que as candidaturas socialistas não são convincentes. 

Gosto da ambição do PSD mesmo tendo em consideração o momento difícil que atravessamos. O mais lógico é que a luta se faça para saber quem conquista mais municípios. O voto nacional não interessa já que a maior parte das pessoas não vota em partidos mas em pessoas. O PSD soube escolher as pessoas certas para os lugares correctos tendo em conta o trabalho feito no poder local, já o PS não percebeu que se trata de uma eleição local e não nacional, preocupando-se apenas com a questão da crise. 

Para além de PSD e PS também o CDS,BE e PCP vão cantar vitória na noite eleitoral. Os centristas porque vão manter a Câmara de Ponte de Lima e talvez ganhar mais um ou outro município. O BE garante Salvaterra de Magos e o PCP pode vir a "roubar" algumas Câmaras ao PS. 

Ao PSD resta esperar por manter a liderança da ANMP e assim respirar de alívio...

Sem comentários:

Share Button