quarta-feira, 5 de junho de 2013

Porque continuam?

Ao escrever estas linhas já se sabe que Jesus renovou pelo Benfica mas que Vitor Pereira ainda não sabe se vai continuar ou não a orientar o FCP na próxima época. O que se sabe é que o clube fez uma proposta de renovação de duas temporadas, mas que o treinador só quer uma, pelo que a relação laboral entre as duas partes não deve conhecer grandes avanços, no entanto é sabido que o clube azul e branco fez uma proposta de renovação.

Sendo certo que Jesus nada ganhou e Vitor Pereira foi bicampeão com apenas uma derrota em duas temporadas, o mais natural era o primeiro ir embora e o segundo ficar, contudo é precisamente o contrário que irá acontecer. Mas suponhamos que os dois ficam. 

Não se percebe a razão porque duas instituições prestigiadas apostam em treinadores medianos, pouco carismáticos e com nível de educação abaixo do normal. Dos palavrões de Jesus todos nós somos ouvintes e da falta de nível e cultura desportiva de Vitor Pereira fomos conhecendo um pouco ao longo da temporada que agora finda. Tanto Benfica e FCP habituaram os seus adeptos a serem exigentes na escolha dos treinadores, tanto a nível técnico como de imagem. Vítor Pereira não tem nada a ver com Mourinho, Jesualdo ou Villas Boas. E Jesus é um anti-Quique Flores, se bem que no caso benfiquista é normal ter este tipo de treinadores. Para além da pouca educação que ambos trazem consigo, a falta de desportivismo é evidente. Nenhum dos dois treinadores soube reconhecer o mérito do adversário quando um estava em posição superior ao outro. Por estes factores não percebo a escolha dos Presidentes e a opção em manter esta linha de orientação. Esperava-se mais de quem dirige Benfica e FC Porto e um maior nível em termos de imagem tanto para o balneário como para o exterior. Ou será que os Presidentes não estão ao nível da grandeza dos respectivos clubes?

Sem comentários:

Share Button