Etiquetas

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Até quando o PSD vai estar calado?

Salvo algumas honrosas excepções, como é o caso de Manuela Ferreira Leite e Marques Mendes, o aparelho do PSD tem andado calado. Não têm sido feitas críticas de relevo ao governo e até ao momento há uma paz podre dentro do partido que durará até às autárquicas. 
É pela voz dos comentadores ligados ao passado do PSD que Passos Coelho tem suportado a maior parte das críticas. Nuns casos nota-se um certo revanchismo, v.g. Manuela Ferreira Leite, noutros uma certa desilusão, p.e Marques Mendes. 
Não adianta estar neste momento a criar mais dificuldades ao executivo, pelo que é melhor atacar após o resultado das autárquicas, para fragilizar ainda mais o governo e para que altere a sua politica fiscal no próximo Orçamento de Estado. 

Tanto as bases como a elite social democrata estão à espera do momento certo para "ferir" este executivo, que além de ser o mais impopular é liderado por um social democrata pouco aceite entre os "notáveis". Eles estão quase todos no grande ecrã a opinar sobre tudo e mais alguma coisa.

Se nada alterar no próximo OE, não haverá ninguém no país mas também no PSD que não peça a demissão em bloco do governo, e nesse momento surgirão os habituais "prováveis candidatos" que há muito esperam a sua hora. 

Tenho a convicção que a maior parte do PSD só tem estado calado por mero respeito ao actual PM mas porque ainda tem uma réstia de esperança que o governo consiga dar a volta a esta situação. No entanto, acredito que nos bastidores já se comecem a perfilar algumas pessoas para suceder a Passos Coelho, talvez daqui a um ano. Até lá há que esperar o timing certo.

1 comentário:

Observador disse...

O PSD tem falado mas ... para dentro, do tipo ventríluco.
A outra forma virá, ou não, em Outubro.

Share Button