sexta-feira, 10 de maio de 2013

Provocar a águia

Amanhã o país vai estar ligado à televisão a ver o clássico FCP-Benfica. O jogo do título desta vez decide-se no Dragão e não na Luz como nos últimos dois anos. Os protagonistas de um lado e de outro são quase os mesmos. O árbitro do jogo é Pedro Proença, tal como no jogo do famoso fora de jogo de Maicon.

Pelo terceira vez Proença vai apitar um FCP-SLB decisivo para as contas do campeonato. Quem não se lembra do penalty marcado contra o Benfica após Lisandro se ter atirado para a piscina. Não vale a pena recordar o golo que deu a reviravolta no campeonato a favor dos azuis e brancos. Não se coloca em causa a competência de Proença, até porque o melhor árbitro português vem de uma final da champions e da final do Euro 2012, e para supervisionar o jogo mais importante do campeonato, é necessário o melhor árbitro. No entanto, há que ter em conta o passado deste juiz no histórico destes jogos, além da sua preferência clubística que o tem impedido de fazer juízos imparciais. 

A nomeação de Proença é uma afronta ao Benfica que entra em campo condicionado. Não em termos de jogo mas psicologicamente. O que se espera do jogo de amanhã é uma arbitragem isenta e limpa e que no fim ganhe o melhor, haja ou não campeão no fim do jogo. A verdade é que vai ser um desafio bem ríjinho e cheio de casos. 

Sem comentários:

Share Button