Etiquetas

domingo, 26 de maio de 2013

Olhar a Semana - perspectivar o segundo semestre

O segundo semestre poderá ser menos doloroso que o primeiro. As medidas de crescimento apresentadas esta semana pela dupla economia/finanças fazem crer num momento de viragem, já programado pelo governo. O culminar desta aposta será em Setembro com o regresso pleno aos mercados. Se o mar ficar mais calmo poderemos acreditar que esta coligação vai durar até ao fim, com menos ou mais guerras entre os dois parceiros. No entanto, por mais birras que Portas e Passos Coelho façam, há sempre uma voz presidencial a exercer influência junto dos dois líderes partidários. Já sabemos que Cavaco vai optar pela estabilidade, mas pior do que isso, não confia em Seguro para liderar os destinos do país. Além do mais, na cabeça do Presidente está a situação grega e italiana, pelo que é melhor evitar crises políticas nesta altura do campeonato.

O governo neste semestre que se avizinha vai ter que recuperar a sua imagem. O discurso terá de ser mais confiante e assertivo, sob pena de não ter mais margem de manobra. As eleições autárquicas poderão dar um indicador da forma como o governo se aguentará ou não. A derrota é certa, no entanto uma votação próxima do PS pode ser importante, até porque também o líder socialista estará em análise. O melhor que o governo deveria fazer antes das autárquicas era anunciar uma folga no orçamento para 2014. Isso traria votos para o seu lado bem como deixaria a oposição sem tema para a campanha eleitoral. É natural que o PS use as eleições para pedir um castigo ao governo, só que as autárquicas têm cariz diferente. Seguro confia que o que aconteceu com Guterres em 2001 vai suceder com Passos Coelho. O problema é que o actual PM está refém das palavras do Presidente que não admite uma crise política antes de 2015. 

 Há esperança que o verão seja melhor que o inverno e que as perspectivas económicas sejam diferentes, ainda que tímidas. Apesar da tristeza dos números, o governo tem cumprido escrupulosamente o programa de ajustamento. O pós verão pode trazer novidades, até na liderança do PS, já que se o governo sair vencedor, António José Seguro terá novamente de ir às urnas. 

1 comentário:

Fatyly disse...

O melhor que o governo deveria fazer antes das autárquicas era anunciar uma folga no orçamento para 2014.
............
há quase 40 anos que...com "papas e bolos se enganam os tolos"!

Share Button