Etiquetas

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Socialismo às avessas

António José Seguro e António Costa não se entendem quanto ao futuro do partido. O primeiro vai à guerra contra ou sem o segundo. Costa tem medo de ir a votos contra o primeiro, no entanto quer mantê-lo debaixo de olho, colocando na futura direcção homens da sua confiança para que a qualquer momento a "cama" seja feita ao secretário geral.


O que me espanta mais nesta pré-eleição socialista é o medo de António Costa ir a votos com o actual líder do PS. Em meu entender, Costa sabe perfeitamente que a corrida não são favas contadas e que Seguro ainda tem as bases consigo. o delfim de Sócrates pode ter a maioria bancada parlamentar socialista nas suas mãos, mas nas directas quem manda é o militante controlado por Seguro. Se o actual líder do PS se tem revelado um fraco líder da oposição, dentro do partido Socialista tem sabido gerir a sua posição mesmo com as inúmeras facadas nas costas. 

Costa está nitidamente à espera de uma desistência de ultima hora por parte de Seguro, situação que nunca se verificará porque o governo pode cair a qualquer momento e há que estar preparado para agarrar o poder. A unidade do PS na oposição é a mesma que em tempos o PSD viveu quando estava numa posição semelhante. O que se verifica nestes casos é uma paz podre dentro dos partidos que não ajuda em nada à clarificação interna. Quem perde em primeiro lugar são os militantes desse partidos mas o país não fica a ganhar porque não encontra alternativa necessária que se quer em democracia, isto independente de quem está no governo. 

Temo que as próximas eleições não nos ajude a encontrar um "verdadeiro" líder da oposição. Se Seguro vencer, os Socráticos não se renderão.

1 comentário:

Observador disse...

Se Seguro vencer.
O que não é seguro, ou seja, garantido. De todo.

Costa sabe-a toda.

Share Button