Etiquetas

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Protesto ou selvajaria?


O primeiro-ministro de Portugal tinha ontem a aguardar a sua chegada à Faculdade de Direito de Universidade de Lisboa uma imagem degradante - um coelho enforcado.
A pretexto de mais um protesto, e de mais contestação às políticas governamentais, a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa foi o palco escolhido por um bando de selvagens para darem largas aos seus instintos mais primitivos.
O que se viu ontem não foi um protesto político, não foi irreverência, originalidade.
Foi pura barbárie.
Vinda de gente que ainda não terá aprendido que liberdade implica responsabilidade.
Sob pena de, não sendo assim,  se transformar em libertinagem.
Foram esses os ensinamentos que me foram transmitidos pela família e, mais tarde, pelos meus mestres na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.
Qualquer protesto político, por mais legítimas e bem fundadas que sejam as razões que o sustentam, se entra por estes caminhos, perde toda a razão de ser.
Esta semana, aqui em Macau, as forças policiais foram criticadas, e com toda a razão, pelos excessos cometidos aquando da visita de Wu Banguo.
A crítica não pode, em Macau ou em Portugal, apontar sempre no sentido das forças policiais.
Os selvagens que encenaram um espectáculo tétrico na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa têm de ser alvo de censura pública.
Pelo menos isso.
Na mesma semana em que a Europa ficou estarrecida com a votação conseguida por um comediante italiano, uma versão italiana  e mais soft do palhaço Tiririca, dá vontade de perguntar se não serão mesmo os palhaços/comediantes que devem merecer maior votação.
Se se transforma a política, o protesto político, em pura palhaçada, em pura comédia, ainda para mais de péssimo gosto, apetece responder afirmativamente a essa pergunta.

5 comentários:

FireHead disse...

Só me apetece dizer que aqui em Portugal esta palhaçada toda deve-se ao 25 de Abril. Quiseram a liberdade, não quiseram? Agora tomem lá disto. E sim, tomem, que eu em breve já por cá (Portugal) não estarei.

Pedro Coimbra disse...

Não é a liberdade que é culpada destes desvarios, FireHead.
São as pessoas que a confundem com ausência de regras, de princípios, de tudo.

ematejoca disse...

UMA BOA RESPOSTA, PEDRO!!!

Fatyly disse...

"Vinda de gente que ainda não terá aprendido que liberdade implica responsabilidade.
Sob pena de, não sendo assim, se transformar em libertinagem."

Sabes Pedro eu que já vivi o que vivi e jamais perdi a minha total "responsabilidade" só deixo isto no ar:

uma pessoa e já são milhares de milhares perde o emprego, recebe o subsidio de desemprego para o qual descontou mas que agora ficam-lhe com quase tudo, perde a casa, o carro, e não tem como matar a fome a não ser que peça (o estender de uma mão e o bater à porta de...) dói como o caraças...não acho que perderam essa "responsabilidade" mas sim de tal maneira desnorteadas que andam sem encontrar saídas depois de tantas portas fechadas só lhes resta manifestarem-se por vezes de forma como invocas?

PPC e Relvas e todos os ministros falam e discursam para quem? Apenas para os jovens partidários e eu não posso entrar para ouvir porquê? Uma inauguração e outras coisas "tão belas" onde se enterra o nosso dinheiro...barram-me a entrada porquê? Ah não tem cartão do PSD ou do raio que os parta...mas como é que é?

Diz-me a solução para um povo com fome, depressivo, sem trabalho, mendigo...onde todas as previsões, mas todas deste governo foram "tiros ao lado" alguém deles disse onde gastaram o dinheiro dos nossos impostos?

Falas do palhaço Tiririca...só prova que o povo italiano está farto destas politicas europeístas e de troikas & Compª e já agora porque é que na Alemanha "Os verdes" ganham terreno"?

Viver ou sentir na pele a realidade actual do país é bem diferente do que sentimos sentados no sofá, depois de um dia de trabalho e com o papo cheio!

Já passei por isto nos anos 80...e caramba esta cambada não aceita as opiniões divergentes dos outros partidos porquê? Cambada de putos que só querem o tacho e glórias para eles...e estamos a chegar a um ponto que é o salve-se quem puder!

Enfim!!!!

Beijos rapaz extensíveis à família

Pedro Coimbra disse...

Fatyly,
Só agora vi o seu comentário.
Tenho 48 (quase 49) anos.
Também vivi a década de 80, no que de bom e de Macau teve.
Vivi-a até no final, no que foi o início da minha vida profissional.
Mas nunca esqueci estes principios orientadores de vida - exercer a liberdde com responsabilidade, ser cordato e educado.
O que se passou naquele protesto foi indigno, cruel, gratuito, de péssimo gosto.
Pura estupidez vinda de meninos parvos.
Beijinho

Share Button