Etiquetas

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Sem jornalistas

O primeiro debate sobre a reforma do Estado decorreu à porta fechada. Sem jornalistas e não havendo direito a perguntas nem a imagens.
Acho bem o governo estar a querer proteger este debate, para depois não haver frases retiradas do contexto que serão imediatamente aproveitadas pela oposição para fazer politica de baixo nível. Este debate tem de ser sério mas também tem de o parecer, porque o que está em jogo é o futuro do nosso Estado. Abrir as portas à livre opinião pública e publicada é um erro que só chamuscaria o trabalho do governo. Apesar da imprensa ser importante no nosso país não acho que devem estar sempre presentes em todo e qualquer evento. Aqui não se trata de um evento mas de uma discussão nacional sobre soluções importantes para o nosso país. Evitar fugas de informação também faz parte do trabalho de Miguel Relvas....

7 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Nem sei se comente ou se deixe mesmo sem comentários. Acho que vou deixar sem comentários. Ou melhor já agora quem é que esteve nesse debate? Proteger o debate? Então mas debate não é suposto ser isso mesmo, debate? Ou o será que alguém faz o papel do diabo nessa encenação? Chamem-lhe o que quiserem mas debate? Vão abrir o debate aos pobres coitados que não podem entender a excelsa estratégia quando? Quando for tarde demais ou quando já só se puder escolher se se retira o direito à saúde ou o direito à educação? Este debate Francisco tem mesmo de ser publico e tem de ser claro e sério. O problema é aquele velho ditado. Podes enganar uma pessoa durante muito tempo, algumas durante algum tempo, muitas durante pouco tempo. É uma espécie de constante.

Francisco Castelo Branco disse...

Esta a querer dizer que isto e tudo uma fantochada e no fim as medidas do fmi vao ser implementadas sem que haja o debate prometido?

Francisco Castelo Branco disse...

Eu percebo as criticas que faz ao post mas para o debate ser publico nao e necessario a presenca de jornalistas. Estiveram la diversas personalidades de varias da sociedade.

Fernando Vasconcelos disse...

Francisco o que eu quero dizer é que em democracia excepto nos casos em que existe razão para se aplicar o segredo de estado os debates são públicos. Se isto era um debate para discutir ideias e formas de refundar um estado social não estou a ver nenhuma razão para não poder ser público a não ser o governo ou outra qualquer entidade ter receio de dizer e emitir publicamente o que verdadeiramente acha e pretende defender - que me parece sinceramente ser o caso. E isso é exactamente a antitese da Democracia.

Francisco Castelo Branco disse...

Nesse ponto concordo.

Francisco Castelo Branco disse...

Caro Fernando

Acabei de ler este texto do henrique Monteiro.

http://expresso.sapo.pt/a-manada-de-jornalistas-e-a-sociedade-civil-secreta=f779787

Muito bem.

Observador disse...

O grande problema que não pode deixar de se ter em conta é que o jornalismo que se faz em Portugal é perigoso.
Uns por falta de profissionalismo, outros porque obedecem cegamente à voz do dono e contam as estórias de acordo com o que dá jeito.

Seria muito bom poder abrir as portas à CS e saber que o que se viria a ler, ver, ouvir, correspondia à verdade.

Alguém pode arriscar?

Share Button