segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Que justicia

O eterno PM italiano Sílvio Berlusconi está a braços com dois problemas. Um positivo e outro negativo. O negativo tem a ver com o processo denominado de "Rubygate". O factor positivo é que Sílvio vai apresentar-se a eleições no dia 24 de Fevereiro.  O regresso de Il Cavaliere ao poder, pelo menos a tentativa; faz lembrar muitos autarcas ou dirigentes desportivos cá do burgo.

Ora, a decisão do caso judicial está dependente dos resultados políticos. Berlusconi só vai conhecer a sentença do escândalo "Rubygate" após as eleições de 24 e 25 de Fevereiro.

Todos os dias se fala em mistura entre justiça e política. Aqui está um caso flagrante de conluio entre poder político e tribunais. Berlusconi não só vai conhecer a sua sentença após as eleições, como é candidato mesmo estando a decorrer as audiências relativas a este processo. 

É óbvio que a sentença está dependente de uma eventual eleição de Berlusconi e o resultado eleitoral já está condicionado por este facto. Torna-se difícil saber se estamos perante um caso político ou judicial, embora possam ser os dois, contudo as ligações são evidentes de mais que é impossível não suspeitar de nada. Por cá também temos os nossos "Berlusconis", no entanto situações destas nunca chegaram a cargos como o de PM ou PR. o antigo PM italiano sempre usou a política para se esconder da justiça e este regresso inesperado é mais uma tentativa de adiar aquilo que o povo há muito pede. Que o PM seja responsabilizado pelo que fez. 

Não sei como funciona a justiça italiana nem me interessa. O que mais me preocupa é o facto de na União Europeia ainda haver excepções. Esta situação só revela que a UE só se preocupa com questões políticas e económicas deixando outros temas importantes para segundo plano. E a Justiça tem de estar no topo das prioridades. 

Sem comentários:

Share Button