segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Não nos façam de gregos

Não entendo muito bem o que é a troika quer para Portugal. Esta questão em torno das condições de ajuda para a Grécia e Portugal não está bem explicada. Se a Alemanha não nos dá as mesmas condições porque razão temos de continuar com uma austeridade cega?

Ao aplicar estas condições apenas à Grécia, no fundo é o reconhecimento que a troika falhou naquele país. Só mesmo uma renegociação da dívida é que poderá salvar o país. Se a Grécia sair do Euro, é o colapso e o fim de um sonho europeu, que irá trazer consequências para o continente mas também para o resto do Mundo. 

No que toca a Portugal, a conversa é outra. O problema é que podemos vir a tornar-nos uma nova Grécia se não houver por parte de quem nos ajuda uma compreensão e abertura negocial importante. Neste aspecto Passos e Gaspar têm de defender os interesses do país e não adoptar uma posição de subserviência.  Se a troika falhou na Grécia, não vejo porque aumentam as possibilidades de acertar no nosso país. Apertar agora para depois haver uma folga pode ter consequências trágicas. Eu espero que as decisões tomadas em sede de Eurogrupo venham a beneficiar Portugal e que não nos façam a mesma coisa que estão a fazer aos gregos. Para países diferentes com programas e problemas distintos, as soluções são diferentes mas é fundamental dar um balão de oxigénio para que haja confiança e esperança. 

Sem comentários:

Share Button