Etiquetas

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

União + Federalista XV

Aplaudo esta decisão. Eleger o Presidente da Comissão Europeia é a mesma coisa que votar no Primeiro-Ministro respectivo.A abertura da União Europeia para democratizar ainda mais o sistema é positivo. Ao podermos eleger o Presidente da Comissão, estamos a legitimar alguém para que este seja o condutor das políticas europeias, euro incluído, mas também a voz da Europa lá por fora. 

Com esta legitimidade democrática aqueles que pretendem "mandar" na Europa porque se julgam mais poderosos do que outros, têm menos espaço de manobra. Esta é uma medida anti-Alemanha e que pretende pôr um ponto final nos desequilíbrios políticos que existem há bastante tempo. Não deixo de ficar contente com este anúncio já que as eleições europeias serão a partir de agora bem mais interessantes do que vinham sendo até ao momento. Não havia debate europeu, as eleições serviam para ajustes de contas e a percentagem de abstenção era enorme em quase todos os países. Não é muito motivante estar a eleger um Parlamento Europeu quando este é o orgão menos importante das instituições europeias, isto para além das questões relacionadas com a soberania.

Penso que este é um passo rumo ao tão desejado federalismo europeu. O que se quer com este medida é criar um Governo da Europa que possa definir as linhas de condução política. Fica no ar a pergunta se este "governo eleito" terá poderes para se intrometer nas questões de soberania nacional. Os poderes do Parlamento Europeu e a sua importância também vão sair reforçados. 

Em 2014 teremos a primeira campanha eleitoral europeia.....

Vai ser interessante.

2 comentários:

Observador disse...

«Fica no ar a pergunta se este "governo eleito" terá poderes para se intrometer nas questões de soberania nacional».

Creio que não. A menos que se altere legislação e, até, a(s) Constituição(ões).

Lindo!!!

Francisco Castelo Branco disse...

pois, mas com esta questão do PM Europeu, o caminho será esse. Se o OE, a moeda e muitos aspectos são coordenados a nivel europeu, será uma questão de tempo até que o PE reforce os poderes e o governo da Europa comece a ditar as leis no Continente.

Share Button