Etiquetas

domingo, 18 de novembro de 2012

O dia em que a democracia venceu

Nos últimos tempos, temos visto esta máscara usada por vários manifestantes. Muitos não sabem de quem é esta cara. Esta é a máscara de Guy Fawkes, um famoso conspirador inglês que em 1605 tentou juntamente com um grupo de protestantes derrubar o Rei Jaime I e todos os membros do Parlamento. A tentativa foi frustada e o grupo da Conspiração da Pólvora foi capturado e posteriormente torturado. Fawkes não escapou tendo sido acusado de traição e assassinato.

O famoso "Remember Remember the 5th of November" nasceu nesta história que ainda hoje é recordada, especialmente pelos ingleses. Enquanto que por cá se festeja o Halloween, em Inglaterra no 5 de Novembro festeja-se a captura e morte de Guy Fawkes na chamada "Bonfire Night" em que os ingleses queimam bonecos do revoltoso em fogueiras.

Esta figura tem sido lembrada por causa das recentes manifestações que tem marcado os últimos anos na Europa. Tem tudo a ver com a história de Fawkes. No fundo, o objectivo é derrubar o Estado através de várias acções de protesto. Curioso que muitos anos depois, a figura de Fawkes ressuscita. No entanto, o mais estranho é que, enquanto em Inglaterra se festeja a sua morte, ao ponto de queimarem bonecos com a sua imagem, no resto da Europa Fawkes é visto como um herói. Por aqui se nota também os diferentes estados de espírito com que vivem os cidadãos dos países da Europa. A estabilidade da mais velha democracia do mundo contrasta com aquilo que a maior parte dos países europeus estão a viver, e tudo por causa da moeda única.


Se por um lado apela-se à mudança e à revolta, na ilha confia-se nas instituições democráticas e condena-se os que a tentaram destruir. A história de Guy Fawkes prova que a democracia e a liberdade venceu, e aqueles que manifestam interesse em derrubar dificilmente terão sucesso. 

1 comentário:

Anónimo disse...

Isso é a máscara adoptada pelo grupo dos anónimos, os tais hackers informáticos, até estranhei não ver referência a isso no texto.

Não conhecia a história do Fawkes, nem tão pouco porque os anónimos a terão adoptado, eu simplesmente olhava para aquilo como uma máscara.
O "desenho" ou face em si até podia ser abstracto.

Não me parece que este grupo seja o perigo da democracia.
Aliás têm feito muito por várias causas, desde a Primavera Árabe, a casos de liberdade de expressão e de imprensa.

Claro que sendo muitos, de todo o lado e cada um com a sua independência, haverá maus da fita e más intenções pelo meio.
Mas isso é em tudo.


A verdade é que sem necessidade nenhuma, dedicam tempo, dinheiro e não só a tentar fazer alguma coisa.

E a verdadeira actividade deles não se faz nas ruas.

Não falta chabalada de universidades a usar tais máscaras, que nem aos anónimos pertencem, nem tão pouco sabem mexer num computador.
É como aqueles míudos da catequese que andam com casacos de claques dos clubes.
Se me faço entender.


Quem está a destruir a democracia e a liberdade todos sabemos quem é.

É quem tem e está no poder!

Os personagens portugueses não contam para o filme, são só fantoches que se vendem a troco de 5 tostões e às vezes de borla, não passam disso.


O que vier a acontecer, será sempre lá fora, o que aqui implicar será uma tendência que virá de fora. Ponto final.


E deus queira que seja a democracia a triunfar!

Pois parece-me que nesse texto, a democracia não parece ser o desejo primordial, parece-me!

Share Button