Etiquetas

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Há quem culpe a polícia e o governo....

Este texto de Daniel Oliveira é inaceitável. Não que justifique a violência, como ele escreve, esteve na manifestação e tentou parar os desordeiras, mas porque quer fazer crer que a polícia agiu mal e sob as ordens directas do Governo.

Em primeiro lugar, qualquer pessoa que esteja a ser agredida tem o direito de reagir. Foi o que aconteceu ontem. A Polícia, mesmo tendo o ius imperi, só pode actuar de acordo com as regras. E neste campo, o Henrique Monteiro explica muito bem as directrizes que a Polícia tem de obedecer antes de entrar em carga. 
Naquela situação, todos vimos que a Polícia não podia fazer mais nada senão reagir contra pedradas! Já acompanhei muitas manifestações porque elas decorrem à porta de minha casa e nunca vi pedras a voar sobre a cabeça dos polícias. Se atirar petardos é mau, e a polícia nunca reagiu a isso, o aparecimento de pedras é uma novidade nas manifestações.

Em segundo lugar, a polícia bateu em manifestantes pacíficos  É claro, mas só ficou lá quem quis, porque antes de entrar no terreno, a polícia avisou que ia carregar. E depois é o natural: vai tudo à frente. Mas então a Polícia vai escolher consoante o aspecto? 

Em terceiro lugar, a polícia teve de ir até ao Cais do Sodré porque foi para lá que aqueles que andaram à pedrada fugiram mal viram o movimento dos polícias. Noutros países os manifestantes lutam com a polícia (veja-se o exemplo italiano); cá em Portugal atira-se a pedra e depois corre-se para o pé da mamã. Repare-se que a maioria dos manifestantes são miúdos  Acho indecente como neste país se culpa a polícia por agir em conformidade com o interesse público. Se a polícia não for atrás deles, então aí sim está a pôr em causa a segurança de todas as pessoas, porque na próxima manifestação vai acontecer o mesmo. É impressionante que só neste país é que a autoridade não pode dar umas bastonadas. Sorte a deles que ainda não chegámos ao tempo dos canhões de água e ao gás lacrimogéneo  porque quando chegar estes senhores vão ficar horrorizados. Outro dado levantado. Então mas se no meio da multidão está um grupo desordeiro, como é que se isola esse grupo que se protege precisamente da multidão? É inacreditável. Nem mesmo a polícia mais avançada do mundo consegue realizar tal táctica, até porque ao mais pequeno gesto, os desordeiros desatam a fugir, como se viu ontem...... 

Ao ler o texto fico escandalizado com a parte final. Como não poderia deixar de ser a culpa é do governo. Ora, foi o governo que mandou a polícia provocar os manifestantes, para que estes se revoltassem e assim houvesse distúrbios de forma a que a greve geral fosse ofuscada. No fundo, o plano do governo foi um sucesso porque só se falou nos desacatos e não do mais importante: que foi a greve geral. Esta atitude de criticar o governo chegando ao ponto de o acusar de ter "provocado" os distúrbios é típico da esquerda radical. Confesso que sinto triste com este tipo de texto. Nem Francisco Louçã se atreveria a tanto, no entanto, ainda vivemos num país onde se discute a utilidade da intervenção da Polícia. 

Juro que não percebo, que numa hora difícil para o país não se aplauda o esforço e coragem de pessoas que arriscam as suas próprias vidas para proteger o bem comum, esse valor tão importante para a nossa esquerda.

Concluo com uma questão para análise. Se as manifestações têm originado violência porque razão continuam os sindicatos a insistir nestes protestos, sabendo de antemão que vai haver problemas? Será que dia 27 vamos ter mais pedradas?


6 comentários:

Observador disse...

Ponto prévio: a culpa é do governo, apenas pelo facto de fomentar todo este degradado Estado Social.

Dito isto e indo directamente ao que aqui leio, discordo igualmente de Daniel Oliveira.
Sabe-se que as pedras e outros objectos foram arremessados por um grupo de extremistas que aproveitaram a oportunidade para se armarem em heróis.
A lamentável atitude em nada teve a ver com a manifestação propriamente dita. Nem com a CGTP, organizadora da mesma.
A carga policial só peca por não ter sido feita cirurgicamente. Porque foram identificados os prevaricadores. Logo, seria sobre esses que uma carga qualquer deveria ter sido efectuada.
E aí estaria tudo bem.
É inadmissível o que se passou? Sem dúvida.
Porém, os agentes da autoridade agiram à moda antiga. Fecharam os olhos e malharam a torto e a direito. No único local onde não deveriam ter agido.
Os verdadeiros culpados fugiram. Sabemos disso. Assim sendo, por que motivo a polícia continuou a malhar no, aí sim, agitado (mas só isso) grupo de manifestantes?
Era bom que, para memória futura, se falasse do que realmente se passou.
E sim, discordo de qualquer tipo de violência venha ela de onde vier.

Cumprimentos

Francisco Castelo Branco disse...

Caro Observador.

Vejo a polícia ir de encontro aos manifestantes que fugiram e a dispersar as pessoas do largo da AR. Além do mais foram avisados 2 vezes que iria haver carga. Como é bom português, o povo gosta de ver o que vai acontecer e por isso é que muitos ficaram ali à espera da carga policial. Por azar levaram com umas bastonadas, mas tambem vi a policia a juntar as restantes pessoas. Quem estava a atirar pedras certamente deve ter fugido pela D.Carlos ao ponto de ter ido para o cais do sodré. Só comento aquilo que vi e embora viva lá, não assisti a isto porque estava naturalmente a trabalhar. Agora, a policia não pode, no meio de uma multidão só ir buscar aqueles que estão a atirar pedras. Além do mais, eles estavam a atirar pedras.

Francisco Castelo Branco disse...

Quanto à degradação do Estado Social.

Eu só vi 6 ou sete pessoas a atirar pedras, o resto estava a manifestar-se pacificamente, como de resto tem sido hábito.

Observador disse...

No essencial estamos de acordo, caro Francisco.

Os meninos traquinas que atiraram as pedras são, além de indisciplinados, cobardes.
Esta malta é, de resto, useira e vezeira nestes desafios.

Alguns fugiram descendo a Av. D. Carlos I até à Av. India. Outros, refugiaram-se nas imediações (Rua de S. Marçal).

FireHead disse...

Esse tal Daniel Oliveira deve é ser mais um esquerdista que anda por aí...

A culpa é do governo? Não, é da democracia, ou seja, do povo. Só está no governo quem está no governo porque o povo assim o entendeu, através das eleições.

De resto, um abraço de solidariedade a todos os polícias e um muito obrigado por serem eles a zelar pela nossa segurança contra desordeiros criminosos que não merecem a liberdade que têm.

Pedro Coimbra disse...

Um comentário perfeitamente ridículo este do Daniel Oliveira.
Há malta que anda a reviver o PREC, de certeza

Share Button