Etiquetas

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Figuras tristes

O CDS sempre esteve com um pé fora e outro dentro na aprovação do OE. Muitos deputados centristas não concordaram com o enorme aumento de impostos, no entanto colocaram os interesses do país acima do partido. Outra coisa não seria de esperar, porque uma crise política e eleições antecipadas não beneficiariam em nada o CDS, já que também seria considerado responsável pelo descalabro. Nunca tive a mínima dúvida que o CDS iria votar a favor do OE, embora o fizesse de forma contrariada, como veio a revelar pelo seu Presidente.

Critiquei a posição do deputado Rui Barreto porque não se mostrou solidário com os seus companheiros de bancada, contudo uma vez tomada a posição, é de louvar a coragem política por ter ido contra a disciplina de voto, sabendo de antemão que isso implicaria a expulsão do partido. A sua postura não teve nenhuma consequência política já que CDS e PSD têm deputados suficientes para fazer aprovar o diploma. 

Contudo, é de lamentar que nem todos tiveram a coragem de Rui Barreto. João Almeida e Ribeiro e Castro votaram a favor mas apresentaram declaração de voto, à semelhança do que sucedeu com alguns do PSD. Havendo esta possibilidade, faz todo o sentido alguns deputados "mostrarem" a sua discordância em relação a documentos que tiveram de seguir a disciplina partidária, mas que pessoalmente não estiveram favoráveis ao diploma. Isto já aconteceu várias vezes e irá continuar a suceder O problema é que os dois deputados do CDS vieram criticar um OE que votaram a favor. Não percebo a razão das críticas após a votação em sede própria. Das duas uma, ou os deputados tinham a mesma coragem que Rui Barreto e furavam a disciplina de voto ou então após votarem favoravelmente não criticavam publicamente o Orçamento de Estado. Não se pode votar a favor num dia e criticar no outro. Isso é pura hipocrisia política e mais parece um número de circo de alguém que é porta voz de um partido que sustenta a maioria e tem responsabilidades. É muito provável que Almeida receba instruções de Paulo Portas. 

O deputado do CDS fica muito mal na fotografia e não ajuda em nada o seu partido. Dá-me a ideia que o CDS pensa que não vai ser prejudicado se o Governo não der a volta à crise e mandar a troika passear. Há alguns deputados que necessitam de ter mais coragem política e enfrentar a "disciplina de voto" imposta pelos partidos.

É pena que muitos ainda continuem a fazer figura de palhaços.

Sem comentários:

Share Button