Etiquetas

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Causas & Coisas - Somos um povo de causas?

Nós temos uma qualidade muito grande: somos um povo que se une nos momentos mais difíceis, mas para além disso, conseguimos juntar esforços para ajudar os outros. Quem não se lembra do ataque a Timor nos anos 90 e das inúmeras manifestações de solidariedade.
Quando se realizou o Euro 2004, todos os portugueses, mesmo aqueles que não gostam do jogo, envolveram-se no apoio à selecção nacional, mas que no fundo era apoiar o país rumo a um objectivo importante. A colocação de bandeiras nas janelas empurrou a equipa de Scolari até a uma final inédita. A recente onda de manifestações não acontece por acaso. O que está em causa não é a manutenção ou não do governo de Direita ou de esquerda, mas a tentativa de acordar os políticos para um caminho que pode ser igual ao da Grécia. Ao estarmos unidos contra a troika queremos que se encontre uma solução diferente daquela que nos está a ser implementada.

Gosto desta qualidade da nossa sociedade de nos maus momentos dar as mãos,  sem olhar a cores políticas  ou preferências ideológicas. O que se está a passar é isto mesmo: pessoas com diferentes visões políticas, estão a esquecer as "rivalidades". Só um grande país como o nosso é que consegue mobilizar a sua população quando o que está em causa é a sobrevivência desse mesmo Estado. 

Na próxima segunda feira a Chanceler Alemã visita o nosso país. Como seria de esperar estão preparados vários protestos. No entanto há um que salta à vista. Para mostrar a Merkel a nossa indignação perante as políticas que temos vindo a sofrer, decreta-se que se coloque uma bandeira negra nas janelas dos sítios por onde a chanceler irá passar. 
Ora, este é mais um momento de união nacional, à semelhança dos episódios atrás referidos. Isto só vem provar que o principal alvo da ira dos protestos é quem nos está a impor esta receita e não que as está a aplicar. 

Acho importante que Portugal faça ouvir a sua voz na próxima segunda feira. Já que quem nos governa não consegue defender os interesses nacionais, é chegada a altura de, por via pacífica, demonstrar a insatisfação perante as medidas de austeridade anunciadas e que entrarão em vigor no próximo ano. A submissão não é uma característica do povo português. A história diz-nos que sempre lutámos contra quem nos quis dominar, pelo que não será agora que iremos ceder. Esta vontade de união também costuma ser demonstrada em eleições.

É por estas razões que a nossa história tem sido marcada por sucessivas transformações a nível social e politico.

2 comentários:

artesanato disse...

Parabens pela estrutura e conteudo de seu blog, Forte abraço Renato Artesanato em MDF

Francisco Castelo Branco disse...

Muito obrigado

Share Button