Etiquetas

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

A um passo da história?

Amanhâ realizam-se as eleições norte-americanas. Como vem sendo hábito, a ansiedade cresce nos candidatos mas também no mundo inteiro. As eleições para a Casa Branca são importantes para a América mas também para o resto do Mundo, pelo que não há ninguém que não tenha o seu candidato favorito.
A expectativa é enorme também pelo facto dos dois candidatos estarem empatados tecnicamente. Não são as sondagens nem o voto util que ganha eleições, pelo que a incerteza será até ao fim.

Se Obama ganhar será um facto normal, no entanto se Romney vencer a eleição entrará na história. Por diversas razões. À segunda tentativa, o republicano pode ver a sua luta recompensada, até porque o Presidente tem sempre vantagem e a reeleição quase garantida. No entanto, se Obama perder isso também será um facto histórico. É preciso recuar muito tempo para vermos um Presidente não ser reeleito para um segundo mandato. Esteve para acontecer com W.Bush, contudo o republicano venceu através do colégio eleitoral apesar de ter perdido no voto útil. 

Ao que parece, nem o efeito Sandy está a elevar Obama para outros patamares. De facto, a Presidência de Barack Obama fica marcada por um discurso muito elaborado e conquistador, no entanto no que toca a políticas esteve muito a desejar. 

Amanhâ é o veredicto final, mas há uma certeza: Obama não ficará para a história como se esperava. A "América Nova" ficará para outro Presidente....

5 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Não é preciso recuar assim tanto. Basta recuar até Carter e se Obama perder perderá pela mesma razão, mas duvido que perca. Pela saúde dos americanos e do mundo espero que não perca.

Francisco Castelo Branco disse...

nao sei quando foi a ultima vez que um Presidente não foi reeleito. mas obrigado pela informação.

No entanto penso que nenhum dos dois vai trazer novidades

Observador disse...

Estou farto de dizer que 'a máquina' determina que entre republicanos e democratas deverão existir mandatos intercalares (dois cada).
E olha que 'a máquina' é determinante e tem muita força, muito poder.
Tal tem acontecido e não são conhecidas excepções 'à regra'.

Por tudo e também por isso, aposto numa vitória de Barack Obama.

Francisco Castelo Branco disse...

Então porque razão a máquina não consegue desempatar?

Observador disse...

Faz parte do sistema.

Share Button