sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Quem vai receber o prémio?

O Comité Nobel não pára de surpreender. Após a atribuição do Prémio mais prestigiante do planeta a Barack Obama a o dissidente Liu Xiabao, eis que aparece União Europeia como a galardoada deste ano.
A prestigiada homenagem não será certamente pela situação económica, política e social que a UE atravessa. Convêm não esquecer que União Europeia e Europa são duas coisas diferentes. 
O juri do prémio justifica a nomeação porque hoje é impossível Alemanha e França entrarem em guerra. Contudo, não podemos só falar em guerra militar. Também há guerras civis, politicas e económicas. 

O que me parece é que a União Europeia está num conflito político e económico sem fim à vista, daí a crise de alguns países menos competitivos. 

Que a Europa já curou as feridas da guerra, isso não é novidade e a criação da União Europeia foi um enorme passo para aprofundar laços de amizade entre os vários povos europeus mas também definir um caminho sob os diversos pontos de vista. No entanto, nos últimos anos a União Europeia não tem conseguido responder à crise e a luz ao fundo do túnel é menor. Além do mais, as "guerras de influência" no seio da União Europeia coloca em dúvida a sua força para ultrapassar os obstáculos de hoje. 

Contudo, esta nomeação pode funcionar como um estímulo e ajudar a UE a ultrapassar todos os seus problemas, no entanto é preciso força de vontade por parte dos seus líderes. E não havendo líderes na UE quem é que vai receber o prémio?


2 comentários:

Observador disse...

O principal problema é que os líderes estão divididos e, à cause, de costas voltadas.
Como conseguir, então, que o prémio constitua um estímulo?

Uma vez mais a política a intrometer-se em todo o lado.
E é pena.

Francisco Castelo Branco disse...

pode constituir um estimulo para a união

Share Button