sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Representará Mo Yan o contrapeso de Liu Xiaobo?


A Academia Sueca deu ontem a conhecer o nome do galardoado com o Nobel da Literatura este ano.
Trata-se do chinês Mo Yan, um escritor relativamente desconhecido do grande público e que, em Portugal, tem editada a obra "Peito Grande, Ancas Largas".
Uma obra que, diga-se de passagem, foi muito mal vista pela oficialidade chinesa e que obrigou Mo Yan a retratar-se publicamente, por escrito, em virtude do carácter marcadamente erótico do livro.
Não se pense, no entanto, que Mo Yan é um opositor (detesto o termo dissidente) do regime político chinês.
Bem pelo contrário, como o próprio gesto supracitado bem ilustra.
Confessando que sou um dos que desconhece, em absoluto, a obra literária do escritor chinês ora galardoado, confesso que, ao ter conhecimento do prémio, e ao ler e ouvir as reacções que se seguiram ao anúncio público da sua atribuição, fico com a sensação que a Academia Sueca resolveu, dois anos depois, compensar o gesto da Academia Norueguesa.
E assim, ao premiar Mo Yan, o Comité Nobel lava um pouco a face chinesa depois da perda de face que representou a atribuição do Nobel da Paz a Liu Xiaobo em 2010.
O peso, político e económico, da China, faz-se sentir cada vez mais.
E nos mais variados domínios da vida pública.
Admito que o meu raciocínio, as minhas suspeitas, não estejam correctas.
Mas, mesmo assim, não consigo evitar que o meu lado realista me diga, constantemente, que este é um prémio para acalmar a China.
Muito mais que um prémio que reconheça a genialidade da obra literária do autor premiado.

13 comentários:

Luís Coelho disse...

Ouvi ontem nas notícias a atribuição do prémio. Desconheço por completo este escritor bem como se isto representa mais um trunfo na política chinesa.

Pedro Coimbra disse...

Luís,
Eu desconheço a obra do escritor, confesso.
Mas que me cheira a uma vontade de ser simpático para com a Cinha, lá isso cheira.

myra disse...

estou de acordo com voce, este premio foi uma coisa politica ja que China agora està na boca do mundo inteiro!!!

Francisco Castelo Branco disse...

A China está sempre na boca do mundo pelas melhores e piores razões, mais até que os Estados Unidos.

Quanto a esta atribuição se calhar o ano passado o Comité Nobel meteu-se com quem não devia

FireHead disse...

Sem querer tirar o crédito ao Mo Yan, que, aliás, nem sequer conhecia, não compreendo sinceramente o critério de atribuição dos prémios Nobel...

Francisco Castelo Branco disse...

o da Paz é no mínimo, insensato

Pedro Coimbra disse...

mura e Francisco,
Soa a pedido de desculpas pela pisadela de 2010.

FireHead e Francisco,
O Nobel da Paz parece um reduçado com um recado.
Tomem lá um Nobel e vejam se tem juizinho.
Nada de expulsar países, nada de dar cabo da moeda única e toca a arrumar a cãs, esta bem?!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A atribuição do Nobel da Paz é, no mínimo ridícula, como aliás escrevi no meu canto

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Também não conhecia este escritor. Creio que suas pertinentes considerações são racionais.

Pedro Coimbra disse...

Carlos,
E já não e a primeira vez.
Politizar os Nobel da nisto.


Prof. João Paulo de Oliveira,
Já ouviu as declarações oficias da China?
Reforçam a minha opinião.

Fatyly disse...

Pedro

Não conhecia o escritor e ao ler tantas críticas entre aspas...subscrevo inteiramente o teu pensamento e com isso e muito mais que já foi dito, o Prémio Nobel perdeu muito da sua credibilidade.

Um abraço

Pedro Coimbra disse...

Inteiramente de acordo, Fatyly!!

Penedoalto disse...

Está muito bem escrito, como aliás é teu hábito.Quanto à atribuição do Nobel da Paz, pois... deve ser para tapar o Sol com uma peneira.
Por cá, receio muito, mesmo muito, o 2013.Se não têm um bom bocado de bom-senso, não sei no que vai dar.
A mãe vai fazer mais quatro trata-
mentos isto é, vai levar o soro co-
mo já levou.Vamos dando notícias.
Beijinhos para todos.

Share Button