Etiquetas

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Momentos Olhar Direito (8): Cavaco, o conciliador ou o provocador?

O nascimento deste espaço "apanhou" a meio o primeiro mandato de Cavaco Silva e para além disso estivemos presente na campanha que elegeu o ex-primeiro ministro a um segundo mandato presidencial.

Cavaco Silva apanhou Socrates e nomeou Pedro Passos Coelho. Viu Socrates vencer as legislativas de 2009 mas dois anos depois teve de aceitar o pedido de demissão do ex-primeiro ministro. O seu mandato termina em 2016, pelo que é possível que Cavaco ainda possa convidar um terceiro PM a chefiar o governo. Se em 2015 ou antes é um tema que só mais tarde saberemos.....

Ao contrário do que sucedeu com Jorge Sampaio, o seu mandato tem sido marcado por pela instabilidade política. O que acabámos de referir é uma prova disso mesmo. Socrates pediu a demissão, Coelho poderá ter de ser demitido.

Cavaco Silva tem sido um Presidente muito interventivo. Muitos consideram que o PR está muito calado quando se trata de abordar questões de interesse nacional. Apesar de falar pouco, Cavaco Silva intervêm muito nos bastidores, como se viu na recente questão da TSU. Por muito que se diga que o Conselho de Estado não teve influência, a verdade é que a voz de Cavaco fez recuar o governo e acalmou o povo. Aquela saída em conjunto dos Conselheiros de Estado foi a pedido do Presidente. 


A intervenção de Cavaco nestes anos tem sido marcada pela famosa "magistratura de influência", tanto com Socrates como com Passos Coelho. Com os dois primeiro-ministros o PR manteve uma relação de vigilância permanente, até porque politica e pessoalmente nenhum dos dois são da área de Cavaco. Quando Cavaco quer intervir não o faz de forma directa, p.exemplo via meios de comunicação social; mas sempre utilizando outros recursos, nomeadamente delegando na sua delfim Manuela Ferreira Leite a tarefa de dar cara aos Media. 

Tanto Sócrates como Passos Coelho tiveram de lidar com a sombra do Presidente. Neste caso, trata-se mesmo de uma sombra porque o Presidente raramente dá a cara. 

Mário Soares era um Presidente muito interventivo, Sampaio raramente falava e Cavaco é uma mistura dos dois.

Infelizmente o seu mandato ficou marcado pela questão do BPN, no entanto essa não foi mais do que uma tentativa de denegrir a imagem de um homem honesto na sua totalidade. Contudo, e como não podia deixar de ser também este Presidente pessoal e institucionalmente rectílinio teve os seus momentos menos felizes..........

Sem comentários:

Share Button