sábado, 13 de outubro de 2012

Momento Olhar Direito (9): Heróis acidentais

Não são só as grandes figuras políticas e sociais que fazem parte da nossa história. Na nossa sociedade existem homens e mulheres que têm um papel tão ou mais importante que muitos daqueles que tomam decisões importantes no dia a dia e são responsáveis pela vida das pessoas.

Nos últimos anos houve pessoas anónimas que passaram para a ribalta graças aos seus actos, brincadeiras ou simplesmente por se encontrarem numa situação difícil e que viraram heróis num instante. Pego nesta última frase para recordar o histórico salvamento dos Mineiros Chilenos. A notícia rapidamente espalhou-se por o mundo e uma onda enorme de solidariedade foi criada em torno dos Mineiros. O salvamento teve honras de transmissão em directo em quase todos os canais do Mundo. 

É impressionante como hoje em dia a dor de uns passa para os quatro cantos do mundo. Tudo graças à divulgação dos media. O salvamento foi celebrado não só no Chile, com a presença do Presidente Chileno no local, mas também em todo o Mundo. Em termos de tecnologia, também foi dado um passo enorme. Deve ter sido a primeira vez que foi possível resgatar um número considerável de mineiros que estavam debaixo de terra, funcionando tudo a 100%.

Um outro acontecimento relevante, mas que não teve o mesmo impacto foi a aterragem de um avião em pleno Rio Hudson, em Manhattan. O risco foi compensado, tendo o piloto ficado para sempre no coração daqueles que foram salvos.

Nas grandes catástrofes naturais os verdadeiros heróis destacam-se por salvarem cada vida humana. Esse gesto é muito maior do que vencer uma eleição, ter algum cargo importante ou possuir bens de luxo. Era interessante saber como ficam essas pessoas após serem responsáveis por salvar uma vida, ajudar alguém dificuldade.........

Para além dos heróis que se destacam a proteger os outros, há um outro tipo de personagens de banda desenhada. Aqueles que por uma mera frase ficaram famosos num instante. Quem não se lembra do famosos "vão vir charters da China", de Paulo Futre e o "o medo a mim não me assiste" do agora concorrente Hélio Imaginário.
Os media têm este poder. Por causa de uma frase conseguem transformar alguém famoso, mas também há o reverso da medalha. Hoje poucos acham piada a Futre e o video do Hélio a se espalhar já faz parte da história. No entanto quem não gostaria de ser um herói acidental?


Sem comentários:

Share Button