Etiquetas

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Recuar é um acto de humildade

O recuo do governo face à TSU é importante, mesmo que tenha tendo em conta a pressão do Presidente da Republica, dos empresários e também da rua.
Contudo, só um Primeiro-Ministro humilde e com sentido de Estado é que teria uma atitude destas. Não é qualquer um que tendo maioria absoluta recua numa proposta, sabendo interpretar  todo o ruído que se cria à sua volta. 
Outros, como por exemplo, Socrates, nunca recuariam nas suas iniciativas, mesmo quando não tinham instrumentos políticos que lhe garantissem a maioria
Horas antes do Conselho de Estado, Passos Coelho afirmava que o governo estava disposto ao diálogo. Situação que nunca aconteceu com o ex Primeiro-Ministro.
Um PM que tem esta capacidade merece uma segunda oportunidade, porque pior do que errar é persistir no erro.

Sem comentários:

Share Button