Etiquetas

domingo, 23 de setembro de 2012

Olhar a Semana - Quando eles saem juntos


O povo manifestou-se pela primeira vez em Belém. Em 38 anos de democracia o PR nunca havia sido incomodado pelos populares.
Na rua ouviam-se palavras de "gatuno", "malandros", "são todos iguais", entre outras palavras. Apesar de ter sido Passos Coelho a lançar a bomba com o anuncio de uma medida tsupida, há muito que o povo esperava o momento certo para sair à rua. Como se viu ontem o problema não é do PSD ou CDS. O sentimento de injustiça abrange todos os partidos e no dia de ontem nem o PR escapou à ira. É que por cada carro que entrava por aquela porta, um enorme coro de assobios se fazia ouvir. E não é crível que Passos Coelho estivesse em todos eles... Independentemente da cor política, do cargo que ocupa ou das ideias que defende, não houve um que escapasse à ira e à revolta. Perante isto, houve a necessidade de todos os Conselheiros saírem juntos, a fim de enfrentarem colectivamente a insatisfação popular. O populismo anti-democrático começa a aumentar e basta uma só medida, uma qualquer injustiça que o povo vai novamente para a rua. Quem ganha com isto são os dois partidos que não têm representação no Conselho de Estado, PCP e BE. Note-se o que aconteceu na Grécia, onde só após dois actos eleitorais se conseguiu formar um governo, no entanto nem estes dois partidos escapam à ira. 


Para acalmar o povo, o PR tem de intervir. A intenção desta reunião foi importante e Cavaco ganhou pontos junto dos portugueses. Primeiro porque conseguiu que a TSU caísse. Em segundo lugar, porque ao terem saído todos juntos do Palácio de Belém, os Conselheiros passam uma imagem de união que é relevante neste momento de confusão social. É crucial que o PS, alguns comentadores que ontem estiveram na qualidade de Conselheiros, e também os ex-Presidentes da Republica sejam os impulsionadores da paz social. Todas as declarações que vierem a ser proferidas, têm de ser num sentido apaziguador e tolerância em relação aos momentos difíceis que vivemos. No fundo, Cavaco Silva responsabilizou cada um dos Conselheiros pela estabilidade social e política que se pretende alcançar. Neste sentido, o PR foi inteligente e soube de uma certa forma acalmar os ânimos. 

É por estas razões que o PR ainda continua a ser uma figura respeitada junto dos portugueses. Ao contrário do resto dos políticos.....

Sem comentários:

Share Button