Etiquetas

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O linchamento fácil

Este fim de semana decorreu em Ponte de Lima, as tradicionais festas do Concelho, as populares Feiras Novas. Como é habitual há mais de 50 anos, o cortejo etnográfico faz parte do programa. O Presidente de Câmara costuma convidar um VIP da nossa sociedade para assistir ao desfile. 
O convidado deste ano do certame foi o Ministro da Segurança Social, Pedro Mota Soares. Desde logo, a cor política é comum. Ponte de Lima é o unico municipio que o CDS tem. 
O desfile ocorreu um dia depois do PM ter anunciado mais medidas de austeridade. Ora, é certo que o convite já estava feito mas também não é mentira que o governo já tinha esta possibilidade em estudo e o anuncio há muito que estava marcado. 
Como era de esperar, o Ministro foi vaiado pelo povo que continua a sofrer na pele as medidas dificeis. A questão de fundo tem a ver com o resguardo publico que o Governo deve ter neste momento. Este e qualquer um. Lembro perfeitamente a monumental assobiadela que Guterres levou no Pavilhão Atlântico no final do Masters de Ténis e aquando da inauguração do Estádio da Luz quando o alvo foi Durão Barroso.
Nos momentos dificeis para a população, levar os membros do governo para assistirem aos cortejos ou seja lá o que for é errado. Da parte de quem convida mas sobretudo dos convidados, até para não fazer eco na comunicação social e não transmitir uma ideia de descontentamento popular. É óbvio que poucos são aqueles que vaiam, mas a notícia corre num ápice, a imagem fica prejudicada, isto para além do efeito de transmissão que pode ter numa próxima visita. 
Os autarcas não devem exibir os membros do governo como se fossem troféus para a população ver ou pedir um conselho num momento lúdico. Os governantes devem preservar a sua imparcialidade e principalmente evitar colocar todo um governo em maus lençois, sobretudo porque estão constantemente sob escrutínio popular e mediático.
Se o governo de Passos Coelho transmite uma imagem de poupadinho, não deve mostrar que é um alvo fácil para a oposição popular.

2 comentários:

Leão_da_Estrela disse...

Beeeemmmmm,

Cada tiro, cada melro!

Então diz o meu amigo que o governo está a tomar boas medidas, mas que se deve esconder. Ele há coisas do diabo...
Então não deveria ser o contrário, se o governo tem a certeza da justeza das medidas que toma, não deveria "dar o peito às balas?"

Francisco Castelo Branco disse...

Leão da Estrela

em termos de imagem, o governo tem de se resguardar numa altura em que as boas medidas são naturalmente impopulares. Ninguém gosta de sofrer cortes no seu salário, mas também ninguém quer que o Estado gaste desenfreadamente.....

O peito às balas tem de ser nos locais próprios e não nas festas citadinas....

veja-se o que aconteceu com Guterres e Durão. Até porque a comunicação social transforma logo isto num caso...

Share Button