Etiquetas

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

O CR7 que pague a crise

Nos últimos dias a imprensa tem feito eco de um suposta birra de Cristiano Ronaldo. O tema não é importante nem sequer merece tratamento na Comunicação social generalista, já que na desportiva é perfeitamente normal que isso suceda.
Especulou-se que o futebolista não estava satisfeito com o seu ordenado. Por isso, o próprio jogador veio acabar com todas as dúvidas. Não é por causa do dinheiro que ele estava triste. 
Ainda bem, porque todos nós estávamos muito preocupados e torcíamos para que o contrato do jogador fosse substancialmente melhorado. No fundo, o que todo o povo português quer é o bem estar de CR7 para que ele nos dê umas alegrias. Se for necessário torná-lo mais milionário......

Na mesma altura, o Primeiro-Ministro não excluia um novo aumento de impostos. Abafado pela tristeza de Ronaldo, as palavras de Passos Coelho tiveram pouco eco. No fundo, o que o PM quis dizer é que vai haver mais medidas de austeridade.

Estas duas situações revelam bem a situação do país. Por um lado, o luxo e o mediatismo de um jogador de futebol e por outro o estado de pobreza com que o nosso país vai paulatinamente ficando. Se por um lado temos o egoísmo de uma figura pública que vive à conta do país, na outra ponta os sacrifícios que as famílias têm de fazer para que o barco se mantenha à tona.

Tendo em conta a situação do país, acho que deveríamos exigir ao famoso jogador da bola que também contribuísse para a crise. A solução da crise poderia estar resolvido, caso CR7 se deixasse de infantilidades e vivesse o drama que milhares de portugueses vivem.

No fundo, CR7 não faria mais do que a sua obrigação enquanto cidadão nacional. Esta era uma solução que Passos Coelho devia seriamente considerar.

Sem comentários:

Share Button