Etiquetas

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Em defesa do cavaleiro Marcelo Mendes!

Antes de escrever este artigo tive o cuidado de ver o que alguns jornais ( Público, Expresso, Sol e Correio da manhã) e ainda o canal amador RibeirinhasTV tinham escrito sobre a notícia que tanto anda a escandalizar os anti-touradas.
   Ora, tal como era de esperar, os meios de comunicação, por uma questão de defesa de uma das partes ou simplesmente para colher mais audiências com a notícia, apenas se deram ao trabalho de expor um dos lados da história: a dos manifestantes anti-tourada, claro!
Desse lado da barricada já todos sabemos o que foi dito pelos manifestantes. Sentem-se atacados pelo cavaleiro Marcelo Mendes que teve uma atitude de grande violência perante as pessoas que ali estavam em luto e apenas protestavam pacíficamente contra a realização da tourada, afirmam que foram momentos de grande pânico e que foram obrigadas a fugir para não serem agredidas pelo cavalo ( como se o cavalo fosse fazer mal a alguem...), etc etc.

   Agora o outro lado da barricada que quase todos desconhecem!:

Ponto 1- Ao que apurei nas redes sociais - sim, porque só nas redes sociais é que se pôde "ouvir" o lado dos aficcionados e dos que estavam presentes na praça ou nas suas redondezas, infelizmente - os manifestantes estavam numa zona designada para o aquecimento dos cavalos e dos seus cavaleiros. Ora, não é preciso saber muito de cavalos para perceber que com tanta barulheira e confusão que para ali  ía os cavalos começaram a ficar nervosos e inquietos. Tal não era nada positivo nem para o cavalo, que não aquecendo e estando nervoso se podia lesionar aquando da lide na praça, nem para o cavaleiro, que com o nervosismo do cavalo, e o dele que, provavelmente, estaria a crescer tanto pela entrada em praça mas também pela triste manifestação a que era obrigado a assistir, podia, como consequencia, lesionar-se a ele também!

Ponto 2- Ao que parece, a manifestação não foi assim tão pacífica como os anti-touradas tentaram mostrar aquando do directo da RibeirinhasTv e transmitir aos meios de comunicação em geral.
Parece que os tais manifestantes "pacíficos" começaram por atirar pedras aos aficcionados, digo cavaleiros, ajudantes, etc., que ali estavam ( na zona de aquecimento, repito) tendo mesmo atingido um dos cavalos (dizem-se eles defensores dos animais...) o que levou, obviamente, a uma revolta dos que assistiam a tudo aquilo. Daí o primeiro "ataque", como dizem os anti, do cavaleiro Marcelo Mendes. Nada mais que uma investida para tentar marcar posição e afastar os manifestantes da SUA zona!

Ponto 3-No entretanto, enquanto alguns manifestantes faziam mais umas "queixinhas" à RibeirinhasTv pelo suposto violentíssimo ataque que tinha sucedido e enquanto o cavaleiro tentou voltar ao aquecimento do seu cavalo, um outro manifestante agrediu verbalmente o cavaleiro Marcelo Mendes durante largos minutos, o que levou o cavaleiro a perseguir, por assim dizer, o tal homem para o tentar identificar e apresentar queixa perante as consequentes ameaças que ele lhe fazia a ele, claro está, e ao seu cavalo.
Não se tratou, como disseram os anti-touradas, de mais uma investida, mas sim de uma tentativa de, como disse, identificar um "pacifista".

Ponto 4- Como os manifestantes "pacíficos" vieram, alguns, de tão longe, como fizeram questão de dizer aos meios de comunicação - como que a fazer justificar os seus argumentos e as suas vontades de acabar com as touradas - não se podiam ir embora apenas com uns apedrejamentos. Pois bem, fizeram ainda questão de violentar o carro do cavaleiro Marcelo Mendes ( ainda estou para descobrir como é que sabiam qual era o carro dele) ao partir vidros e pintar o carro com tintas.

Como podem ver, estes manifestantes eram tudo menos pacíficos! Nada que me surpreenda porque já estou habituado a ver as manifestações "pacíficas" de antis-touradas e de outros que tais, de partidos semelhantes aos que por lá passeavam,  que acabam sempre em confrontos com as forças políciais. Mas que fique claro que a polícia é que os provoca sempre....

No entanto, o importante a retirar deste episódio é que os aficionados, a começar pelos cavaleiros, não se ficaram nesta guerra que tentam criar.

A tradição e o costume falarão mais alto!
 

20 comentários:

RedStar1982 disse...

Oh amigo, nem tu acreditas no que escreveste. É tão parcial e ridícula a tua exposição que tenho duvidas que tenhas visto o vídeo.

Cresce e começa a repensar os teus valores.

A tourada não precisa de aficionados como tu e muito menos de seres como Marcelo Mendes.

Anónimo disse...

Espera lá, primeiro dizes que o cavalo nunca iria fazer mal a ninguém, depois dizes que ele estava a ficar nervoso!

Mais capacidade de argumentação era esperada.

Afonso Prole disse...

Anónimo: Se me explicar porque é que o facto de estar nervoso tem de ter como consequência o fazer mal ou o ataque, então aí falamos de capacidade de argumentação!

Margarida Besouro disse...

É muito complicado fazer-se ver a verdadeira essência da questão quando tentamos defender qualquer parte. Que foi o que aconteceu. É pena no vídeo não se identificar ninguém a atirar pedras seja lá para onde for mas sim, apenas ver-se uma pessoa a tentar agredir um grupo de pessoas que apenas estavam a usufruir dos seus direitos (expressão e manifestação, neste caso). Que saiba, os espaços públicos são isso mesmo que o nome indica: públicos. Portanto e assim sendo, aqui não há zonas de ninguém! E sinceramente, o que esse cavaleiro fez é motivo bem suficiente para qualquer ativista pacíficar o agarrar e tirar do cavalo (para uma conversa bem cara-a-cara, sim porque neste caso, em cima de um cavalo, eu sou a maior!). Atenção pois estas palavras são escritas por uma pessoa que não se sente nem anti-touradas nem a favor. Sou uma pessoa que consigo ver os dois lados da questão: os prós e os contras. Mas sem dúvida, que os meus valores (que considero serem os corretos), vão falar sempre mais altos. Sim, porque antigamente era tradição condenar os "doidinhos" (que não eram doidinhos nenhuns) no purgatório. E hoje em dia, com o tempo a civilização foi evoluindo, tal como tudo a nossa volta. E creio sinceramente que daqui a muito tempo também este tipo de situação tenha evoluído, e bastante!

dan disse...

"fizeram ainda questão de violentar o carro do cavaleiro Marcelo Mendes ( ainda estou para descobrir como é que sabiam qual era o carro dele) ao partir vidros e pintar o carro com tintas." era tão bom ver um video de uma câmara de segurança por ai nas redes sociais a mostrar os aficionados das touradas a arranjarem provas contra os manifestantes... era de rir mesmo....

"foram momentos de grande pânico e que foram obrigadas a fugir para não serem agredidas pelo cavalo ( como se o cavalo fosse fazer mal a alguém...), etc etc." -- um dia que não tenhas nada que fazer senta-te... e pede a alguém que te passe com um cavalo por cima..

Anónimo disse...

Devias levar com aqueles ferros no focinho com os touros levam.... acho que esquecias logo à tradição....

Afonso Prole disse...

"Quem não pode atacar o argumento, ataca o argumentador" Paul Valéry

André disse...

A escravatura também foi tradição.

Anónimo disse...

Não se vê ninguem a atirar pedras mas no video que vi vêm-se pedras a razar o cavalo.
http://www.youtube.com/watch?v=Zivm1tk-LFU
pedra -> 1:58

Também se vê que a segunda investida é dirigida especificamente a um indivíduo que imediatamente antes acenava na direcção do cavaleiro em causa e faz um gesto de desafio como que diz "vem cá se tens coragem".
gestos provocatórios -> 2:58


Acho as touradas de uma ignorância enorme acerca do que é a inteligência, a biologia e a vida. Mas acho que estes manifestantes estiveram muito mal e a história está muito mal contada pelos jornalistas.

Anónimo disse...

pedra a atingir o chão (lado esquerdo) -> 1:08

pedra na direcção do cavalo (lado direito) -> 1:32

carro riscado -> 5:23

carro pintado com spray vermelho -> 5:26

será imaginação? ou aconteceu mesmo?

Anónimo disse...

Meu caro,

Começo por dizer que você é extremamente ridículo. Acha-se um grande senhor da escrita, mas no fundo, o seu texto vale 0 e só deu vontade de rir - e ás gargalhadas. Para além de SÓ ter dito lixo, nota-se vivamente que não passa duma mente capta, por tanto, de um aficionado.

Você foi capaz de se contradizer e de ainda achar que disse uma grande porcaria. Meu caro, juizo. O que esse senhor, o Cavaleiro, fez, por mim e para muitos outros, é digno de uma valente punição. O cavalo não teria investido em pessoas sem ter uma ordem da pessoa que o montava. Notava-se perfeitamente que o cavalo estava dominado pelo seu cavaleiro e tudo o que fez foi a mando do mesmo.

E já agora, meu caro, se o que diz é verdade e um dos manifestantes insultou verbalmente o idiota do cavaleiro, ele tinha mais era que descer só seu cavalinho e falar de igual para igual, não em cima de uma besta. Até porque bestas ali, já bastava ele. Portanto, nem venha com essa treta de "ah e tal ele queria identificá-lo. O cavaleiro é um santinho do pau oco" Poupe-nos sim?

É por pessoas como você que Portugal continua a ser e sempre será um país de atrasados!!

Olhe sabia que antigamente se queimavam pessoas na fogueira? Era uma tradição. Usando as suas palavras "A tradição e o costume falarão mais alto!"

Pense nisto.

Afonso Prole disse...

Meu caro Anónimo,

começo e acabo apenas para dizer que voce é extremamente inteligente!

Pense nisto!

Nuno Nascimento disse...

Afonso:
Em primeiro lugar lamento o tempo que tenha perdido a teclar algo.
De seguida vou copiar a sua escrita por pontos de argumento:

1ºEstes cavalinhos tão indefesos estão ALTAMENTE habituados a ruídos das variadas fontes(palmas,gritos,cornetas e até certos guinchos de quem os monta).
1 a 0 ganho EU.

2ºPedras de 200gr vs cavalo DIRECIONADO para pessoas(cavalo +/- 400kg)
2 a 0 ganho EU.

3ºSim o habito de correr atrás de indefesos está no sangue destes senhores,o TOURO tantas vezes que os deve insultar.

Caramba mais 1
3 a 0 ganho EU

4ºAh pois!Faltava o bem material que tão bem caracteriza os senhores desta classe.Ou seja veja-mos se compreendi;vidros e tinta vs integridade fisica.Já agora o carro deve ter sido pago com sangue de touro,assim como em Africa há diamantes de sangue os tugas das touradas trocam por carros.

4 a 0 .

Pois é,estou a ver que os ASSASINOS de Touros devem começar a comer palha,para refrescar as ideias.

Paulo Ramires disse...

Sou responsável pelo blog Tourada Portugal ( http://tourada-portugal.blogspot.pt/ ) e gostaria de lhe pedir autorização para publicar este seu texto no meu blog, por ter bastante razão no que diz, caso não concorde diga-o por favor. Obrigado.

Nuno Nascimento disse...

Claro que pode SR.Paulo Ramires

Afonso Prole disse...

Caro Paulo Ramires,

por mim pode fazê-lo.

Não podemos agradar a todos mas fico contente por agradar a alguns!

Anónimo disse...

A violência "às claras" das touradas refugia-se na violência "escondida" dos matadouros. Ha quem argumente que o touro tem uma vida de luxo e uma morte digna de uma festa. Que é melhor do que a violência das fábricas de animais. Quando foi a ultima vez viram uma vaca, um porco ou uma galinha vivos? Como é? Não comem carne? Ela não cai do céu. E como morrem estes animais nos matadouros? Espreitem: http://vimeo.com/30620523
Sem transformar a industria de produção da carne é difícil de argumentar contra as touradas. Não que elas não estejam erradas, mas porque estamos a permitir uma alternativa pior.
Se eu nascesse uma vaca, acho que preferia morrer na arena. Crescia livre, comia melhor, e ainda jogava a lotaria de me despedir com uma valente cornada no toureiro.

André disse...

Pertinente observação do Anónimo que me precede. Como deixei implícito em cima, acho as touradas dispensáveis, mas uma vez arrumada a questão das touradas não nos esqueçamos da iniquidade que é a vida dos animais destinados ao consumo humano. Esses sofrimentos podem e devem ser atenuados. E um dia certamente desaparecerão. Tudo evolui. Um dia não precisaremos de comer carne, espero.

A.A.

Anónimo disse...

Esatas son las mismas familias ancestrales culpables de la esclavitud y muerte de millones de africanos y aborigenes americanos, que les va importar matar habitualmente un animal. Analizando estas corridas, estos mal llamados "caballeros", son un monton de idiotas que se ponen en frente de un animal de 500 kilos con cuernos, por dinero y por alguna ricachona sexagenaria. Soy de Argentina y aca hay que tener los huevos bien puestos para salir a trabajar todos los dias sin que te roben o te maten.

Anónimo disse...

Esto es para el de la fotito de pirata, el de la asociacion de matones de toros. Los toreros tan machotes que se creen y estan vestidos como maricones con medias de mujer y lentejuelas. Saludos chicas.

Share Button