segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A solução Monti

Depois do caos instalado, é importante fazer algumas reflexões sobre o que se irá passar. Já sabemos que o CDS continuará de mão dada com o PSD no governo, mas atento a cada passo dado por Pedro Passos Coelho. Hoje, mais do que nunca o PM está a ser constantemente vigiado pelo seu parceiro de coligação, bem como pelos portugueses.

Há quem diga que este governo já caiu, embora continue de pé, porque será dificil ao governo recuperar do choque que foi o anuncio de muitas medidas de austeridade em apenas poucos dias. Mais valia terem juntado e fazer apenas uma comunicação, mas é de louvar a coragem do PM em ter querido anunciar a medida mais gravosa sozinho.


Perante o descontentamento, muitos cenários já são colocados em cima da mesa. Está excluída a hipotese de Seguro vir a ser PM, até porque ainda tem de passar pelo teste das autárquicas e embora possa vencê-las, não é certo que fique com Porto e Lisboa. E tendo em conta que 2013 será um ano eleitoral, não será possível ao governo aliviar um pouco o cinto?

Ainda é cedo para falar em derrube de Passos Coelho, até porque o PR também está condicionado pelas politicas de Bruxelas, pelo que não vai cometer nenhuma loucura. Caso a situação perdure, a solução Monti poderá ser a mais viável para o país. Mas isto seria uma solução a longo prazo. No entanto, a adopção de um governo de tecnocratas não eleitos seria muito má acolhido pela população, até porque isso iria contra a grande tradição democrática e de partidos que temos.

Seria complicado ver como PM um banqueiro, um economista, um gestor, ainda que de competência inegável. Concordo com algumas críticas que têm sido feitas a este governo. Os Executivos têm de ser constituídos por políticos e não com muitos técnicos. Por muito que se aplauda a ideia de trazer novas caras para a política, a verdade é que em aspectos como a comunicação, o sentido de Estado, a estratégica...nota-se que ainda estão muito verdes.


Além do mais, a solução Monti poderia criar um vazio enorme, sendo possível o regresso das velhas práticas pouco ortodoxas. Não sei se com isso, Socrates estaria inclinado para voltar ao poder....

Sem comentários:

Share Button