terça-feira, 14 de agosto de 2012

Orgulho Britânico

Acabaram os Jogos Olimpicos de Londres. Apesar do domínio chinês durante quase todo os 17 dias, foram os Estados Unidos que venceram o maior número de medalhas bem como na obtenção de mais medalhas de ouro, recuperando assim o lugar perdido para a China há quatro anos.
Apesar do duelo entre os dois gigantes, a Grâ-Bretanha como anfitriã esteve muitíssimo bem. Não só porque assegurou o terceiro lugar, mas devido a algumas vitórias históricas.
Destacar Andy Murray que venceu Federer e vingou-se da derrota no Torneio de Wimbledon. Bradley Wiggins venceu o contra-relógio e juntou o titulo olímpico à vitória no Tour. Estes dois resultados são importantes, desde já porque marca uma viragem no desporto. Murray e Wiggins representam o espírito britânico. Apesar de já andarem nos respectivos circuitos há algum tempo, conseguiram chegar à glória. E nada melhor do fazê-lo em casa. Chris Hoy também foi rei no ciclismo de pista ao arrecadar 5 medalhas.
No entanto e apesar das vitórias no ténis e ciclismo a maior surpresa veio no atletismo.
Ennis, Greg Rhuterford e Mohamed Farah( ainda que naturalizado) deram ao Reino Unido vitórias importantes no atletismo, especialmente o terceiro que venceu a prova dos 10.000m e 5.000m.
Para além do trabalho organizativo, foi feito um esforço no sentido de competir de igual para igual com as duas super potências. Não foi possível, mas mesmo assim ficaram em terceiro e com apenas menos 9 medalhas de ouro do que a China.
Ao contrário de outros países, em Inglaterra existe cultura desportiva mas também vontade e orgulho em representar da melhor maneira o país.
Faltou a medalha no futebol mas não se pode ter tudo. Conseguirá o Brasil em 2016 chegar ao primeiro lugar?


Sem comentários:

Share Button