terça-feira, 10 de julho de 2012

País do folclore

Portugal é o país onde reina o folclore, o vira e qualquer outro tipo de dança tradicional. Não há nesta sociedade, um mínimo de seriedade e responsabilidade que seja.
Graças a ter ocupado o cargo de Presidente da Assembleia Geral da Associação de Folclore da Região do Turismo dos Templários, Miguel Relvas obteve 160.............dos 180 créditos necessários para concluir o curso de Ciência Política e Relações Internacionais. Ora, gostava de saber como conseguiu os restantes 20....foi por ter sido Presidente da Associação dos Amigos do Alheio?

Pior mesmo foi o facto do Ministro ter apenas completado 4 das 36 Cadeiras obrigatórias.

Em Portugal basta ser membro de uma qualquer Associação Recreativa para que o currículo se valorize profissionalmente. É por estas razões que no nosso país há uma Associação Recreativa e Cultural em cada esquina.  Mal vai um país em que o folclore está acima da competência, do mérito, do voluntariado. No fundo é atribuir mérito aos dotes dançantes da pessoa em vez do seu esforço. 

Não se percebe porque razão a Lusófona valorizou este suposto desempenho profissional, que mais parece um entretenimento para passar o tempo e dançar. Se em muitas ocasiões Relvas é publicamente penalizado, nesta situação em concreto quem fica mal é a própria Universidade.A não ser que tenha existido um   "folclorezinho" para preencher o CV de Miguel Relvas.

A dita Associação Recreativa agradece a publicidade e ao que parece, as filas para fazer parte da Associação são longas e não têm fim à vista, não vá no futuro ser necessário acrescentar mais qualquer coisinha ao currículo.

Até lá, o folclore em torno da licenciatura de Relvas continua.

2 comentários:

francisca disse...

Concordo consigo Francisco viva o foclore! Estudar para quê? obter graus académicos estoirar-se para se valorizar profissional e academicamente já era... vamos todos inscrever-se no clube recreativo da santa terrinha!

Francisco Castelo Branco disse...

Deve haver muitos com cargos nas associações recreativas

Share Button