segunda-feira, 2 de julho de 2012

La tercera

A vitória ontem da selecção espanhola no Euro 2012 vai perdurar muito tempo na história do futebol mas também na do Desporto.
Conseguir ganhar consecutivamente o Euro 2008, Mundial 2010 e o Euro 2012 é algo que só está ao alcance dos predestinados. Para além do recorde colectivo, houve vários jogadores que alcançaram marcas individuais o que demonstra bem que estas conquistas não são obra do acaso e o trabalho perspectivado tinha algo de histórico em mente : ganhar de forma consecutiva 3 ou 4 grandes competições.

Tendo deixado pelo caminho equipas como a Croácia, Irlanda, Itália, França e Portugal; a Furia mostrou que o futebol "nascido" no Barça e depois "aplicado" por Pep Guardiola tem muitas variantes e é capaz de superar qualquer táctica ou sistema. Com um 9 mentiroso ou jogando com Ponta de Lança, o tiki (Iniesta) - taka (Xavi), superou os melhores sistemas defensivos com que os adversários iam tentando parar este jogo do toca e corre enquanto que a muralha defensiva espanhola conseguiu congelar artistas como Modric, Ribery, Benzema, C Ronaldo e o mago Andrea Pirlo. Neste aspecto, Croácia, França e Italia(no primeiro jogo), tiveram de se adaptar ao vendaval de futebol imprevísivel que os espanhóis tanto gostam de praticar. Aqui, convêm fazer uma menção honrosa à equipa portuguesa que foi a unica a jogar de olhos nos olhos com la roja e a manter a sua forma táctica no duelo com os espanhois. Sem medo e acreditando nas suas especialidades, Portugal quase ia levando de vencida esta Espanha, provando assim que o tiki-taka não é só virtudes, importa explorar os defeitos.

Depois de três trofeus, a Espanha procura o seu quarto triunfo consecutivo no Brasil. Será dificil mas não impossível porque a maioria destes jogadores estará no final das suas carreiras e quererão despedir-se com mais uma conquista. No entanto há mais factores contra do que a favor. Pep Guardiola já não mora em Barcelona e o estilo do seu sucessor pode ser diferente, embora na mesma linha. Ao contrário do que sucede em Barcelona, em Madrid mora uma equipa que joga diferente, sendo que a base da selecção e o próprio jogo pode chegar da capital e não da Catalunha. Após 3 conquistas, os adversários já sabem que pontos fracos explorar e é evidente que haverá um certo desgaste nos jogadores e alguns terão de ser substituidos. 




Sem comentários:

Share Button