Etiquetas

sexta-feira, 27 de julho de 2012

A nossa única esperança para Londres

Hoje começam os Jogos Olímpicos de Londres. De quatro em quatro anos, atletas de todo o mundo nas mais diversas modalidades vão tentar tudo para levar uma medalha. No fundo, ganhar o ouro,prata ou bronze é o sonho de qualquer desportista. A medalha é sempre mais importante do que qualquer titulo mundial ou europeu.

Portugal está representado por 77 atletas. No entanto, este ano as expectativas são baixas em relação a anos anteriores. Em Londres não vão estar Nelson Evora, Naide Gomes, Francis Obikwelu e Rui Silva. Os dois primeiros eram claramente favoritos a uma medalha nos Jogos. Contudo, as lesões impediram estes atletas de dar um contributo ao nosso país. 

Assim sendo, as nossas únicas esperanças são a Vela e o Judo. Ainda há a canoagem mas ainda é cedo para Emanuel Silva conseguir chegar ao pódio. Na vela temos Gustavo Lima na sua quinta tentativa de superar os anteriores quartos lugar. Pode ser que seja desta. Mas é na judoca Telma Monteiro que recaem todas as esperanças. 

O desporto português agradecia a conquista, e assim não ficava tão dependente dos resultados das pistas de tartan. Porque ao contrário do que se julga, não é o futebol que dá alegrias a este povo deprimido e desesperadamente à espera de um titulo para sair da crise. O atletismo sempre foi a modalidade onde se obtiveram os melhores resultados desportivos. Senão vejamos: Carlos Lopes, Rosa Mota, Rui Silva, Fernanda Ribeiro, Nélson Évora e Naide Gomes. São nomes suficientes para serem alvo de uma justa homenagem e com isso recrutar mais apoios para uma modalidade importante a nível mundial e esquecida por cá.

Tinha mais utilidade construir pistas de tartan do que estádios de futebol que estão às moscas.

Sem comentários:

Share Button