Etiquetas

terça-feira, 26 de junho de 2012

Taxar abortos é a nova brincadeira de Gaspar

Todos sabemos que a situação orçamental não está perfeitamente controlada, apesar das avaliações da troika. Vitor Gaspar e Passos Coelho tentam a tudo o custo evitar mais austeridade, isto se tivermos em linha as ultimas noticias bem como a não rejeição por parte do PM de ter que tomar eventuais medidas num futuro próximo.

Para não ter que aumentar ainda mais os impostos, irá ser uma inevitabilidade?, Coelho e o Drácula das Finanças procuram outras formas mais subtis de arranjar dinheiro para os cofres do Estado. Já sem poder cortar os subsídios de Natal e de Férias, os dois querem que os cidadãos que não pagam bilhete nos transportes colectivos paguem multa, e o mais escandoloso é que as grávidas que pretendam abortar o façam mediante o pagamento de uma taxa moderadora entre os 20 e 25 euros.

Sabemos que é preciso ir buscar dinheiro que não estava previsto, mas escusado será dizer que haveria outras formas mais realistas para o fazer. Por este acto nota-se bem o desespero que Gaspar e Coelho têm, senão terão de inevitávelmente pedir mais ajuda ao FMI e em troca disso implementar mais medidas de austeridade, lembram-se da Grécia?

Pode ser com que esta nova taxa o número de abortos diminua, o que até pode levar a uma nova discussão sobre este tema no nosso país, mas a medida é caricata e sem sentido. Quantos aos prevaricadores que costumam usufruir do serviço de transporte sem bilhete, cuidado porque em vez dos habituais picas teremos inspectores das finanças a fazer o controlo das passagens.

Portugal também é inovador na forma de cobrar impostos.

Sem comentários:

Share Button