Etiquetas

segunda-feira, 7 de maio de 2012

A Grande Viagem dos Salmões - Resistir XXXI

(...)

Após ter levado uma grande tareia dos Salmões reais, Salmolipe encontrava-se bastante ferido e havia perdido o rasto do grupo onde estava Salmodiana. No entanto, o comportamento dos seus inimigos era misterioso, pelo que não desistiu de seguir o rasto que eles deixaram. Algo lhe dizia que seguiam no mesmo caminho que os Salmonix.

Caglão e os seus salmões já estavam no cume do rio. Haviam ultrapassado o seu grande objectivo. Desta vez, não havia o problema dos Ursos, pelo que não houve baixas neste grupo. Ficou apenas o remorso de ver Salmolepe morto. Contudo, havia que seguir em frente e a missão de Caglão era de animar o resto do pelotão, após terem sido confrontados com tão triste episódio.

Encontravam-se neste momento, numa colónia para se alimentarem e continuarem o caminho, só que o rio não estava muito cheio e muitos salmões ficavam expostos à superfície, sendo que não aquele o único problema. O facto de cada um procurar o melhor sítio para se resguardar de eventuais perigos, fazia com que se gerasse uma enorme confusão. A ansiedade e o medo faziam parte do sentimento de cada salmão, isto apesar do recente estômago cheio.

Entretanto, uma família de lobos cinzentos já se deslocava para o local onde Caglão e os seus descansavam. Era hora de lanchar....

(continua dia 9...)

Sem comentários:

Share Button