Etiquetas

terça-feira, 8 de maio de 2012

Governos sem gravata

Estes senhores da extrema-esquerda grega foram convidados pelo PR grego a formar governo. Depois da Nova Democracia não ter conseguido o feito, cabe ao BE da Grécia tentar conquistar uma maioria  no Parlamento. Também na Grécia, os senhores de extrema não usam gravata e querem nacionalizar os bancos, bem como tornar nulo o acordo de resgate que levou a que estas eleições se realizassem.
Cavaco Silva mostrava preocupação com a subida dos partidos de extrema nas eleições que tiveram lugar no Domingo passado. A extrema direita de Marine Le Pen foi a terceira força mais votada na 1ª volta das presidenciais francesas e o Syriza conquistou o 2º na Grécia, podendo muito bem governar o país nos próximos anos.
O momento em que estes partidos vão conseguir chegar ao governo está quase a chegar, pelo menos já foram chamados a formar alianças. 
Não é de estranhar a subida dos partidos de extrema. Um pouco por toda a Europa assiste-se ao descontentamento dos cidadãos em relação aos poderes instalados, o que leva ao voto nas organizações que têm um discurso do "voltar ao antigamente". Outros  aspecto a salientar é o crescente eurocepticismo que reina entre os cidadãos europeus de cada país. Se nem a Europa ou os governos locais solucionam  os problemas, o discurso radical ganha mais força nas urnas.
No entanto, e como a maioria das forças políticas ainda estão ao centro e defendem valores democráticos, não será para breve a constituição de governos extremistas, seja de esquerda ou direita. O problema é que já nem os partidos tradicionais se querem entender para resolver os problemas da nação.

1 comentário:

trufas disse...

ótimo blog, parabéns...

Share Button