Etiquetas

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Ainda sobre os subsídios...

Não percebo esta polémica à volta dos subsídios. Passos Coelho sempre disse que, a reposição será feita no Orçamento para 2015....
E faz toda a lógica, porque é no ano de 2014 que está previsto o fim do programa de assistência financeira, logo não seria possível devolver os subsídios numa altura de austeridade. A demagogia da oposição é inaceitável e não se compreende. Se forem ao arquivo, verão que PPC não mudou uma unica linha do seu pensamento em relação a esta questão. Como ninguém é bruxo, não sabemos como vai estar a situação financeira em Portugal.
Contudo, o facto de Passos Coelho querer repôr os subsídios em 2015, pode causar-lhe um dissabor que a oposição vai certamente aproveitar. É que daqui a quatro anos estamos em plena véspera de eleições legislativas, pelo que o Coelho vai ser preso por ter e não ter cão.
Não se entende o que pretende a oposição com esta insistência...

2 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Concordo em absoluto é uma polémica sem sentido como também é sem sentido a polémica sobre as reformas antecipadas. A fazer-se era para fazer assim. A questão é mesmo se é legal fazê-lo, não COMO se faz.
De resto verdadeiramente grave e aí sim um atentado ao estado social porque atinge quem verdadeiramente pode precisar numa situação de fragilidade é a redução do subsidio de doença. Isso é que não dá mesmo para perceber. É uma medida inadmissível. Que impeçam a reforma antecipada de pessoas que podem trabalhar, ok não é bom mas admite-se. Que se estabeleça um prazo para a remoção de subsídios de férias e Natal consistente com os sacrifícios que se pede à população, ok, é chato mas percebe-se. Que se reduza o montante de um subsidio de uma pessoa num estado fragilizado em que tipicamente mais precisará de ajuda acho sinceramente muito má ideia por mais que seja justificada economicamente. Não está certo.

Francisco Castelo Branco disse...

concordo consigo.

Share Button