Etiquetas

segunda-feira, 2 de abril de 2012

13.4 O Marquês de Pombal

Nasceu em Lisboa a 13 de Maio de 1699 e morreu em Pombal a 8 de Maio de 1782.
Diplomata e nobre português, Sebastião José de Carvalho e Melo ganhou notoriedade política ao ter sido Secretário de Estado do Reino durante o reinado de D.José I.

Filho de Manuel Carvalho e Ataíde e Teresa Luísa de Mendonça de Melo. Foi em Coimbra que exerceu Direito. Casou aos 23 anos por imposição familiar com D.Teresa de Noronha e Bourbon Mendonça de Almada. Ela era dez anos mais velha. Mas foi já em missão diplomática que conheceu a mulher que lhe viria a dar cinco filhos.

Antes de exercer funções políticas no Reino, Sebastião foi um diplomata conceituado. Londres e Viena foram passagens conturbadas devido aos inúmeros conflitos que se viviam na altura.

Entre 1739 e 1742 rebentaram as guerras da Orelha de Jenkins e a Guerra da Sucessão austríaca. Embora Portugal se tenha mantido neutro em ambos os conflitos, o país não ganhou nada com isso e a influência do futuro marquês de Pombal foi quase nula. Sebastião criticava o modo arrogante dos ingleses bem como o seu sistema parlamentar. No entanto, foi em Londres que decidiu avançar com a companhia das Indias para os dominios portugueses.

Já em Viena, viveu a Guerra da Sucessão Austríaca. Em terras austríacas casou-se pela segunda vez com Leonor Daun, dama da corte e filha de familía ilustre austríaca. Teve dois filhos : Adão e Eva.

No ano do Terramoto, Sebastião José já era Primeiro-Ministro do Reino.

Inspirado pelo iluminismo, O Marquês de Pombal iniciou um programa de reformas importantes para o desenvolvimento do país. Aquela que obteve maior significado foi a abolição da escravatura. As suas mudanças não tiveram grande acolhimento junto das classes mais nobres, principalmente na Igreja e em especial na Companhia de Jesus, sendo obrigado a expulsar alguns jesuítas o pais.

Não é necessário referir mais a reconstrução de Lisboa após o terramoto de 1755.

A pouco e pouco, o Marquês de Pombal ia tendo tiques de ditador e ganhando um maior número de inimigos, porque mexeu com os interesses instalados das classes médias e alta.

Na sequência disto, Sebastião de Mello, foi alvo de uma tentativa de regícidio em 1758. A familia Távora e o Duque de Aveiro foram acusados como estando implicitos no ataque. Capturados, foram de imediato executados. Por tudo isso, D.José I atribui-lhe o título de Conde de Oeiras em 1759, adquirindo o cargo de Marquês de Pombal em 1770.

De entre os seus maiores inimigos estavam D.Maria I, sucessora de D.José I após a sua morte em 1777.

Sebastião José de Carvalho e Melo morreu a 15 de Maio de 1582 na sua propriedade.

Pela sua obra e dedicação ao país, Oliveira Salazar inaugurou uma estátua em 1934 na zona central de Lisboa.

Sem comentários:

Share Button