segunda-feira, 19 de março de 2012

A Grande Viagem dos Salmões - A vingança XVIII

(...)

Apesar de liderar um dos grupos que tentavam salvar Salmonão, muitos torciam o nariz a Salmolipe. Ele era visto como um salmão fraco, com alguns problemas de personalidade. No entanto, tinha uma capacidade de persuasão enorme que conquistava qualquer um.

Votado ao quase esquecimento, o salmão rebelde estava agora sozinho e sem defesas, porque a maioria dos Salmonix que haviam partido com ele, já nadavam para o estuário do rio, Salmodiana incluida.

- Aonde estão os meus companheiros? - atirou um Salmolipe à beira de um ataque de nervos.

- Estás sozinho. Todos te abandonaram e ninguém quis te vir ajudar. - afirmou Salozito.

- Que vieste cá fazer se sabias que não és bem vindo? - perguntou Sabazotivo

- Viemos salvar Salmonão que está preso nas grutas da foca Ajak.

- A sério? Que aconteceu? - questionou Sabazotivo.

- Na viagem do ano passado, uma foca conseguiu capturá-lo enquanto atravessámos o mar. Sem dar conta por isso acabámos por "encontrar" o habitat de um inimigo. Salmonão ficou por lá e nós não conseguimos ajudá-lo na altura, mas prometemos voltar. - concluiu Salmolipe.

- Não te podemos deixar ir sem levares um castigo - ameaçou Salozito. Ao vires para esta zona, achamos que estás à procura de problemas e por isso mesmo vais ter aquilo que mereces.

Salmolipe estava encurralado por 6 salmões rosados de enorme estatura física mas também muito compridos. Não havia escapatória possível e desta a vingança iria ser feita.

(continua dia 21....)

1 comentário:

daga disse...

Pronto,não se armasse em conquistador e talvez os rosados o deixassem em paz!

Share Button