quarta-feira, 28 de março de 2012

Doações partidárias

Há quem olhe para a democracia britânica como um exemplo a seguir. Em termos de regras mas também no que toca à ética e moral na política. Contudo, os britânicos não estão de forma alguma impunes ao que se na maioria dos países. O uso do poder público é por vezes abusivo.
Em 2009, registou-se um autêntico "assalto" ao dinheiro público, com a maioria dos Deputados a gastarem aquilo que não deviam.
Agora é o governo liderado por David Cameron que está sob fogo cruzado. Tudo por causa de jantares com a presença de doadores. No fundo, o que estava sob o menu era quanto é que esses financiadores iriam oferecer ao Partido Conservador. É interessante que a polémica centra-se, não no montante doado, mas no número de jantares que se realizaram. Esta parece uma discussão à portuguesa.
Este é mais um dossier para Cameron gerir, depois do isolamento europeu e das suas consequências. É engraçado que em Inglaterra não há nenhum governo que não passe por este tipo de situações.

3 comentários:

expressodalinha disse...

A democracia é uma ficção científica. O poder está sempre prisioneiro dos interesses económicos. Só agora estamos a ver esse filme a chegar a Portugal. Achamos estranho! Lá fora, já chegou há muito.

Francisco Castelo Branco disse...

mas em Inglaterra é bem pior, pelos vistos.

e nestas duas situações, há coisas escandalosas.

e eu a pensar que em terras de sua majestade era tudo perfeito

expressodalinha disse...

Mais claro (EM TEORIA) só nos USA. A angariação é pública e é obrigatório saber quem deu. NOS PAÍSES ESCADINAVOS É POR FINACIAMENTO PÚBLICO. SÂO DOIS SISTEMAS QUE PRETENDEM TRANSPARÊNCIA. NA EUROPA É A BALBURDIA.

Share Button