Etiquetas

quinta-feira, 1 de março de 2012

Causas & Coisas - o maluco das passadeiras

Certo dia ia atravessar uma passadeira quando vi um maluco a "atirar-se" para a estrada de maneira deliberada quando o sinal indicava encarnado para os peões. O pior é que vinha um autocarro a toda a velocidade que por pouco não esmagou o peão em nada.
Este é apenas um caso em muitos milhares de portugueses que gostam de arriscar na passadeira. Não se sabe se a pessoa em causa está desgostosa e assim tenta o suícidio de uma forma kamikaze. Assim, se não for atropelado sempre pode dizer que foi porque estava com pressa ou então pode sempre tentar outra vez mas de uma forma mais célere, como saltar uma ponte por exemplo.

Ao tentar perceber a razão deste "suícidio", conseguimos encontrar várias razões para que alguém arrisque a vida ao atravessar a passadeira quando o sinal indica encarnado para os peões e vem um caterpillar a toda a velocidade.

A pressa - Esta é a razão principal e mais comum entre os homens-bomba. Estamos sempre com pressa e não nos dá jeito esperar pelo sinal que autoriza as pessoas a atravessar mesmo que correndo o risco de um automobilista maluco não respeitar as regras. Se os peões não respeitam, porque haveriam os condutores fazê-lo?. Por causa da pressa uma vida pode ser deitada fora, uma familia ficar destruída ou uma empresa não conseguir liderar. Não há que esperar, porque é preciso chegar o mais rápidamente possível ao local combinado e porque a palavra de honra vale mais do que a própria vida.

É giro - É divertido passar enquanto os carros na sua marcha. Há quem faça macacadas e gestos obscenos para os condutores. "Vê lá se me matas" " Não és homem suficiente para me atropelar".......Depois quando o embate acontece, o riso na cara do peão desaparece e o condutor fica mais aliviado. Sempre se disse que a vingança é um prato que se serve frio. Mesmo até á morte.

Praticar desporto - Há quem corra este risco simplesmente porque goste fazer desporto. Como o trabalho não deixa tempo para mais ninguém, sempre se vão fazendo uns 100 metros na passadeira e assim o exercício físico fica completo. Se repetirmos a situação várias vezes ao dia ou durante a semana, chegamos ao final do mês com menos quilinhos mas provavelmente com umas fracturas no corpo. E como estamos em crise é necessário poupar alguns euros até por causa das taxas moderadoras. Há que evitar gastar dinheiro à toa.

A Estupidez - Se a estupidez pagasse imposto, aqueles que infringem a lei desta forma já estavam tesos e o Estado agradecia. Talvez com o dinheiro deste imposto se conseguisse pagar parte da crise. É estupido aquele que arrisca a vida nestas situações. Pode ser uma palavra forte, mas parvo ou cretino são palavrões elitistas e só a classe média é que pratica este desporto.

Em todo o caso, é dificil compreender o que está na mente de um ser humano-que-arrisca-a-vida-ao-atravessar-a-passadeira-quando-está-sinal-encarnado-para-os-peões-e-vem-um-caterpillar-a-200 kmh. Deveria ser caso para um psicanálise ou mesmo Case Study intelectual. Apesar das tentativas para compreender este tipo de cérebro, muitas outras haverá mas mais depressa um porco anda de bicicleta do que chegamos a uma conclusão.

No fundo, o homem é um ser naturalmente estúpido e por isso é que faz este tipo de cenas na rua.

3 comentários:

daga disse...

oh Francisco, não acho que o ser humano seja "naturalmente estúpido", tanto a sabedoria como a estupidez são adquiridas ;)

Fatyly disse...

pois é, pois é e à custa disso já apanhei grandes sustos, quer como condutora, quer como peão.

Há que apostar mais na: EDUCAÇÃO, EDUCAÇÃO, EDUCAÇÃO, EDUCAÇÃO, EDUCAÇÃO + EDUCAÇÃO, EDUCAÇÃO COM MUITA DOSE DE CIVISMO...

xiii esqueci-me da crise, ainda não passou?

até lá continuo EDUCAÇÃO, EDUCAÇÃO!!!! porque de pequenino é que se torce o pepino.

Os tribunais ou outros organismos que tomam conta do assunto:) estão cheios de multas destas e muitas até já caducaram, daí sermos um país sem EDUCAÇÃO-CIVISMO que não se enquadra em nenhum destes quer no papel de peão, quer no de condutor!!!!

Francisco Castelo Branco disse...

estas multas não para ir para os tribunais, mas sim para os julgados de paz.

ainda nao conheci ninguem que tenha sido condenado por isto

Share Button