quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Mitt Romney e Newt Gingrich

...sabe-se que na política uma semana é uma eternidade! O que parecia claro, "favas contadas", como se diz na minha terrinha, pode virar pesadelo num instante. Foi o que aconteceu a Newt Gingrich. Tal como eu previra, na Carolina do Sul, a área conhecida como "bible belt", o terreno foi-lhe propício. A vitória sorriu sem muito esforço da sua parte, embora Mitt Romney desse um ar do que seria ou iria ser a sua estratégia para a Florida!

Uma barragem de maldicência sobre o "ex-speaker of the house" como jamais havia sido visto nas primárias! Dezasseis milhões de dólares gastos em televisão e radio em acusações desgastaram-no. Isto num Estado peculiar na sua essência; um Estado maioritariamente Republicano no escalão etário da terceira idade composto por reformados de todo o país que se refugiam no clima ameno e por refugiados cubanos que não vêm em Gingrich o seu homem de mão contra os Castros! Tudo veio à baila desde a vida privada de Gingrich, um dos seus "rabos de palha", até aos seus honorários como "soist disant" lobyst!

O discurso de ambos já foi diferente após a contagem dos votos! Esqueceram-se um do outro e apontaram baterias para Obama que neste momento deve estar a rezar para que Romney seja o preferido dos republicanos, pois seria presa fácil. No entanto, Gingrich proclamou alto e bom som que ainda faltam 46 Estados. Enganou-se, pois faltam 45, porque não foi a tempo de conseguir as assinaturas para Vírginia e isso poderá ser-lhe fatal!

O Oeste, a verdadeira América dos valores republicanos está em disputa e a procissão ainda não saiu da Igreja. Há muito para disputar e discutir.

Vamos seguir esta saga que por enquanto não aponta para soluções... Estamos ainda mais no campo dos insultos. As águas ainda estão turvas mas vão clarear. Tenho a certeza.

Texto de Diogo Sousa, correspondente OLHAR DIREITO nos Estados Unidos

Sem comentários:

Share Button