segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Caminho perigoso

O lider do PS António José Seguro tem nos ultimos tempos desbravado um caminho perigoso que lhe pode custar a liderança do partido antes do acto eleitoral de 2015. A táctica de criticar o memorando da troika e as politicas do governo decorrente do documento que o PS também assinou, apesar de ser necessária para fazer oposição não colhe credibilidade junto dos eleitores, que são os mais interessados no discurso de alternativa.

É perfeitamente normal que Seguro altere o discurso relativamente áquilo que disse há quase um ano, mas esta mudança súbita está relacionada com a oposição que existe dentro do PS. Para agradar a gregos e a troianos foi necessária adaptar um discurso contra o governo mas que indirectamente é contra o memorando. E mais grave coloca em causa a assinatura do Partido Socialista.

Seguro podia estar calado mas isso também lhe causaria prejuízos internos, porque o lider de qualquer oposição é sempre acusado de "estar calado ou de não dizer rigorosamente nada". É neste período que se afirma a falta de oposição que o governo tem.

Apesar das dificuldades de ter de gerir um PS ainda a pensar em Socrates e a piscar o olho a António Costa, Seguro poderá ter de pagar a factura de politicamente ter uma estratégia pouco credível e inteligente, até porque se ficar caladinho pode ser que o poder da rua lhe caia nas mãos.

5 comentários:

Fatyly disse...

Todos alteram os discursos de um dia para o outro e 2015? ainda falta tanto...quero é saber a actualidade, se se aguentam ou aguentamos ou "se o poder da rua lhe ou nos cairá ou não em cima"!

expressodalinha disse...

Neste momento toda a gente está impreparada para governar. O drama das crises é esse. Normalmente surgem "homens providenciais", o que é péssimo.

Francisco Castelo Branco disse...

e passos coelho foi um homem providencial?

expressodalinha disse...

Não. Passos é apenas um contabilista de direita. Nada manda. Faz contas.

Fatyly disse...

expresso

só posso concordar!

Share Button