quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A Grande Viagem dos Salmões - A partida IV

(...)

Estavámos no dia da partida. Neste dia toda a população estava ansiosa, porque muitas familias iriam estar separadas e ninguém sabia se os mais próximos voltavam sãos e salvos tais eram os perigos que tinham de enfrentar por esses mares.

Muitos salmões faziam a viagem pela primeira vez. Era natural a preocupação dos pais relativamente aos mais pequenos, porque enfrentar baleias, ursos pardos, golfinhos e gansos patolas não era tarefa fácil.

- Tem cuidado meu filho - era este o anseio de muitos pais.

Cerca de 500 salmões da familia dos Salmonix iriam fazer esta jornada em busca do salmão perdido. Neste cardume estava integrada uma equipa especializada em salvamentos e preparada para enfrentar todo e qualquer perigo. Com o passar dos anos, esta equipa ia fazendo um diagnóstico dos locais mais perigosos e arranjar alternativas para evitar males maiores. Mas a viagem era mais um "salve-se quem puder" do que propriamente outra coisa, até porque os inimigos tinham mais armas e eram sem dúvida alguma mais capazes, mas a esperteza, sagacidade e mobilidade dos salmões podiam evitar os grandes inimigos.

Mas nem só de perigo se fazia a viagem dos Salmões.

Os salmões saíram da sua rocha e foram em direcção a Cusat, um pequeno coral onde habitavam os peixes-palhaços.

Começava assim a grande aventura dos salmões. Só voltariam para casa daí a um ano.

(continua dia 23)

1 comentário:

daga disse...

Foram recrutar "Nemos" para os ajudarem na sua demanda? São um pouco imprevisíveis e não muito disciplinados... mas qualquer ajuda será benvinda numa viagem que se adivinha perigosa...

Share Button