segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Desavenças institucionais

O que já se esperava aconteceu : Cavaco e Passos estão de costas voltadas mesmo nunca estando de amores. É publico que o Presidente nunca gostou do Primeiro, quando este assumiu a liderança do Partido Social Democrata. Passos vem de uma linha e uma orientação completamente diferente da do actual Presidente da República.

Apesar da relação institucional que tem de existir entre Belém e São Bento, amizade é coisa que nunca existirá entre os dois. Mas isso nunca foi um forte de Cavaco : criar amizades com Primeiros-Ministros, até porque também Socrates sofreu do mesmo. Desde que tomou posse, Cavaco não tem deixado (e bem) de se pronunciar sobre a vida política portuguesa, mas muitos entendem que os conselhos e avisos do PR são uma ingerência na política do executivo. Mas o PR como chefe de Estado tem todo o direito de opinar, mas é verdade que certas vezes exagera.

As declarações de Marcelo e Marques Mendes são preocupantes e revelam um mau-estar que existe dentro do PSD por aquilo que Passos Coelho conquistou. Algo que muitos no PSD não conseguiram almejar. O voto de confiança dos portugueses.

É no entanto, de realçar a postura do lider do PS ao afirmar que não é importante as desavenças entre PR e PM. Seguro mais uma vez toma uma atitude responsável.

Esta é uma questão que todos os governos sofrem, só que quando as duas figuras são da mesma cor partidária, é caso para começar a pensar numa eventual dissolução....

1 comentário:

Fatyly disse...

Parece as birras dos putos, andam à trolha e massa e passado um bocado já jogam à bola.

Trabalhem para o que foram nomeados porque ainda não vi resultados nenhuns...desculpem... 800.000 desempregados é OBRA! Parabéns a todos!

Share Button