Etiquetas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Manifestantes Somos Todos Nós

A Revista homenageou as revoluções sociais que ocorreram durante este ano um pouco por todo o mundo. A Primavera Árabe, a revolução dos indignados, os protestos na Grécia e as manifestações na Russia anti-putin foram algumas das principais revoluções que tiveram lugar em 2011 mas muitas mais ficaram por noticiar ou mesmo foram silenciadas.

A transformação da nossa sociedade e as alterações que ocorreram durante o ano tiveram uma causa : a indignação das pessoas e a necessídade que é preciso mudar. As consequências foram o derrube de governos ditatoriais e opressores, a mudança de politicas governamentais. A sociedade tomou consciência que era preciso fazer alguma coisa e a melhor forma de exprimir essa revolta foram a realização de manifestações em massa. Não se tratam de protestos ocasionais mas sim de revoltas contínuas. Como se viu no Egipto,Tunisia e Libia os protestantes levaram a melhor mesmo que para isso algumas pessoas tenham pago com a própria vida a coragem de enfrentar o poder instalado.

Se 2011 foi o principio da indignação e revolta popular, 2012 promete continuar a ser um ano de muita luta. Agora a luta não se faz só dentro dos orgãos políticos, chegou à rua.

Mas também não foi só através de manifestações que as pessoas demonstraram o seu descontentamento durante o ano. As redes sociais como o facebook e os blogues foram ferramentas importantes nos combates que se fizeram na rua. Aliás, foi devido à publicidade feita no facebook que foi possível juntar milhares de pessoas para aderirem às causas.

O que aconteceu durante este ano foi um aviso ao poder politico e aos seus governantes. Ficou provado que ninguém consegue estar agarrado ao poder se não tiver o povo do seu lado. Por muito que tenham as forças militares controladas.

Os manifestantes são milhões.

5 comentários:

Fatyly disse...

Estou completamente de acordo ...e que se cuidem!

Francisco Castelo Branco disse...

Pela primeira vez em muitos posts

daga disse...

Realmente todos temos motivos para protestar... mas, por vezes, falta-nos a coragem de ir para a rua!

Francisco Castelo Branco disse...

e será que isso resolve tudo?

alguem ouve a indignação da rua?

expressodalinha disse...

Uma excelente pergunta. Infelizmente só ouvem qd é muito violenta ou qd é de tal forma generalizada que o regime deixa de ter sustentação. Ainda estamos nos preliminares.

Share Button