Etiquetas

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Afinal somos filhos de quem?

Parece que estamos a assistir no nosso país a uma nova frente de batalha e discussão que provavelmente vai dar origem a uma manifestação ou jornada de luta por parte da CGTP.
Falo da supressão dos quatro feriados que o governo quer extinguir. O 5 de Outubro e o 1º de Dezembro estão a dar que falar e ameaça tornar-se um caso sério de guerra civil no nosso país.
Ontem circulou um abaixo-assinado para que o 1º Dezembro não deixe de ser dia de descanso e houve comentadores que afirmaram que a causa desta extinção é o facto de nem PPC nem Cavaco Silva festejarem com toda a pompa e circunstância. Uns afirmam que somos todos filhos do 1º Dezembro....

Então mas somos filhos de quem? Do 1º de Dezembro? do 5 de Outubro? do 25 de Abril? ou do 10 de Junho que é o dia de Portugal não se sabe bem porquê....

Os partidários da data monárquica dizem que sem o 1º de Dezembro não havia os restantes. Os republicanos reclamam para si o fim de uma monarquia ditatorial e sem sentido. Já os revolucionários acham que a verdadeira liberdade começou há 37 anos. Tudo o resto era boca fechada. Já os adeptos do 10 de Junho não sabem muito bem o que dizer para defenderem a sua data. Se calhar deviam invocar a importância de Camões na expansão da cultura portuguesa.

Ora, isto tudo é uma verdadeira salada russa em que ninguém se entende o que se mostra que a sociedade portuguesa está muito dividida também na questão dos feriados, até porque cada um diz que o colectivo ora é filho da republica, ora é filho da monarquia, ora da democracia....

O melhor é fazer um referendo para saber exactamente de quem somos filhos e qual a data mais importante, mas nesta questão em particular o 25 de Abril ganhou claramente à implantação da Republica e à restauração da Independência.

6 comentários:

daga disse...

Eu diria que de Viriato e de Afonso Henriques, o resto são pormenores ;)

Fatyly disse...

Sei que sou filha do meu pai e da minha mãe e com todos os valores que me transmitiram e que também já transmiti, mas no meu coração estará sempre o 25 de Abril, mas feriado para quê?

Deveria ser um dado adquirido saber sobre a nossa história (como era quando eu estudava) porque muitos das gerações mais novas (sem culpa) nem sequer sabem das figuras actuais quanto mais as longínquas.

Que se entendam!

Anónimo disse...

Fatyly
..... Que se acabe com tantos feriados. Concordo! Porque quem quer comemorar como eu o primeiro de Dezembro ou outro pode fazê-lo!
Quanto aos " miudos" hoje serem ignorantes, não se deve a eles nem aos pais. Deve-se exatamente ao 25 A. A 27A, começou o desmoronamento! Havia que acabar com o paradigma da ultrapassada cultura ( para eles), para criar um homem novo! .... O resultado está aí! O desinteresse, o saber moldado e distorcido do que fomos! Penso eu que sou velho suficiente para ter passado pelo antes, durante e depois!.... E a cultura que está aí, ao alcance de todos, foi ignorada em nome de quê? Eu sei mas não digo.

DCS ( retired ATP)

Fatyly disse...

DCS
Penso eu que sou velho suficiente para ter passado pelo antes, durante e depois!....

Também eu e como ensinaste aos teus o que foi o 25 de Abril? Eh pá essa culpa a este marco, não, embora respeite a tua opinião! Com toda a certeza e pelo que já li escrito por ti, não delegaste essa responsabilidade na escola, nem na faculdade, nem no Ministério da Cultura ou da Educação ou até no teatro da esquina etc. Por ti enquanto jovem o que fizeste? Tinhas interesse em saber mais, o mesmo que eu que ainda hoje faço aqui neste site onde tenho aprendido as várias formas de pensar e agir e até defender sobre os mais diversos temas, ora que bolas...porque não passar isso a outros?
Está ao alcance de todos? Claro que sim, mas o gosto pela mesma começa em casa, com muito diálogo e menos tv, resmas e resmas de paciência num aprendizado constante e não dar aos mais novos coisas fúteis e fáceis.
Se a mesma foi ignorada, não foi pelo 25 de Abril, mas por culpa de muitos de nós - do antes, durante e depois - que contribuimos para uma geração focados apenas num curso e o resto é paisagem.

Como é que aprendemos a história de Portugal? à lapada:) e Salazar conseguiu que fosse bem ao jeito dele. Claro que há datas históricas que cada um deveria dar o valor à sua maneira, mas feriado? Cerimónias com poupa e circunstância com coroas de flores e berrébébeu pardais ao ninho?
não, não vou por aí...

e já não falo dos da "santainhada toda", mas deixa-me gozar a noite de Natal com o meu Pai Natal, por favor leva o presépio e o bacalhau e já agora o galo e a sua missa, e o dia 25 é o repouso do guerreiro depois da enorme brincadeira e partidas de uma consoada com 14 elementos e uma cadeira vazia.

Enfim...eles que resolvam e se entendam, mas que estamos com demasiados feriados lá isso estamos!

Francisco Castelo Branco disse...

acho que de todos, só o 25 de Abril merecia feriado.

O da republica e da restauração não fazem nenhum sentido

Então 10 de Junho é mesmo para dar férias ao pessoal

expressodalinha disse...

Estamos sempre a criar homens novos. E não são os feriados que os determinam. Hoje em dia os "miúdos" ignorantes que trabalham a recibo verde, revoltam-se com os feriados que os impedem de ganhar o dia, enquanto os funcionários vão curtir. Nas actuais circunstâncias os feriados deviam ser todos abolidos e pensar-se no trabalho ao sábado. A meia-hora por dia é uma total fantochada e tirar o subsídio é um manobra contabilística desperada. Qt ao significado dos feriados, cada regime faz a sua história ( o 1 de Dezembro só é comemorado desde 1861!)

Share Button