Etiquetas

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

"Há que estar preparado para tudo"

Foi assim que o Primeiro-Ministro reagiu à pergunta feita sobre se o Euro iria sobreviver ou não.
Com esta frase, Passos Coelho definiu bem a sua linha de orientação. Não fugiu á pergunta e não criou ilusões em relação ao futuro da Europa, bem diferente daquilo que fazia Socrates.

O PM disse que "Portugal vai entrar em recessão", é "preciso dar um passo atrás para dar dois em frente", que "existe batota na economia" e que é necessário haver maior regulação na concorrência. E mais do que tudo disse "não estar preocupado com a imagem" de alguns Ministros. Afirmou igualmente que "Seguro teveum comportamento responsável".

Só por aquelas declarações transcritas, Passos Coelho revela um sentido de Estado completamente diferente do seu antecessor. Não esconde o momento dificil, fala verdade às pessoas e não anda à procura do voto fácil. Uma novidade importante foi ter revelado o objectivo de em duas legislaturas querer reduzir a despesa do Estado para metade...... Tocou num ponto que há muito e muitos falam e escrevem, mas que ninguém tem coragem de fazer porque mexe em sectores que detêm muito poder em Portugal.

No fundo, Passos Coelho manteve o discurso de sempre ao alertar que 2012 será um ano muito dificil para todos.

O exemplo e o aviso vem de cima. Sem mentiras!

3 comentários:

expressodalinha disse...

Toda a gente está a dramatizar a próxima reunião de dia 8 e 9... Que susto!

Fatyly disse...

Também ouvi e algo que me pareceu mal foi a aplicação das frases: os portugueses sabem, os portugueses compreendem, os portugueses percebem...alto e para o baile porque nem todos e aqui arriscaria a dizer a maioria não sabe, não percebe e não compreende e não os culpo por mil e um motivos.
PPC tinha a obrigação de mostrar "um sentido de Estado" conforme Sócrates mostrou na primeira legislatura e não te esqueças que a procissão ainda vai no adro e as grandes chuvadas já lá estão fora...e ao dizer o seu "objectivo de em duas legislaturas..." isto significa o quê? o tal pedido de voto com barrete, disfarçado ou como palha para burros?
Resumo que faço da entrevista e assumo o que digo:
- não disse nada de novo
- não foi convicto em algumas alterações (aqui desculpo porque a velocidade dos acontecimentos é vertiginosa e nem ele sabe)
- quer dar provas no imediato mas algumas estão bem dificeis e tudo que é feito à pressa tem o seu preço
- está com uma "miaúfa do PR" (coitado do homem de facto mete medo ao susto)
- detestei a sua resposta num ar angelical e funebre, quando o entrevistador perguntou se não era demasiado o Iva a 23% para um galão e uma sandes(um péssimo exemplo, porque é algo que se pode tomar em casa)
- é um homem sensual, sim senhora:)
- um pé num sapato elegante e bem grande deve andar na casa dos 40/42
- um fato muito elegante será Armani? Não Armani era do Sócrates:)
- uma gravata que fazia impressão à vista mas da cor que mais gosto
- uma camisa azul clarinha perfeita
- a bandeira portuguesa na lapela (não see se será obrigatória mas achei uma piroseira)
- numa sala horrorosa

e para terminar

- devia pôr os óculos que lhe ficam bem melhor do que as lentes de contacto que fazem dos seus belos olhos os de um carneiro mal morto!

de 1 a 10, dou-lhe 4 pela entrevista e 9 pela sua apresentação!

Maisnada e agora vou beber o meu galão e sandes, ali na cozinha. Quem quizer é só dizer que chega para todos:):):)

Fatyly disse...

PS: quizer é com "s" levei tanta reguada para nada, apre:).
Desculpa!

Share Button